Argentina,1985 [Crítica]

Vencedor do Globo de Ouro de Melhor Filme em Língua Não-Inglesa, Argentina, 1985 coloca os “hermanos” de novo como forte concorrente ao Oscar! E mais uma vez com Ricardo Darín como protagonista! E eu até esperava uma trama pesada o tempo todo, mas encontrei momentos engraçados no início do longa.

Baseado em fatos reais, o filme mostra o processo civil que condena ditadores do alto-comando militar argentino que estiveram presentes na Ditadura do país. Aliás, o “Julgamento de las Juntas” ficou marcado como sendo o primeiro processo civil de um governo democrático contra governo ditatorial.

Sabe-se que a ditadura instituída na Argentina que durou de 1976 e 1983 foi uma das mais violentas da América Latina. Não à toa o promotor Julio Cesar Strassera (Ricardo Darín) estava bastante receoso com o caso. E o filme também dá atenção à família do protagonista e as inúmeras ameaças que eles receberam, bem como toda a equipe. É interessante aqui notar a relação de Strassera com os filhos, quase que total liberdade para eles e o filho mais novo tem um destaque muito bom no longa, excelente detetive. 

Strassera conta com ajuda do inexperiente Luis Moreno Ocampo (Juan Pedro Lanzani), que é de família militar. Se por um lado o processo conta com a ajuda de um promotor experiente como Strassera, por outro, também conta com a audácia do jovem advogado. 

Como não podiam contar com a polícia corrupta, eles recrutaram outros jovens para ajudar a recolher as provas necessárias. É divertido ver o processo seletivo de jovens alienados, mas que ao longo do processo se envolvem completamente com os absurdos contados pelas testemunhas.


O texto de Santiago Mitre e Mariano Llinás é por vezes didático, mas também versátil e coloca muito sarcasmo em diversas situações, bem ao estilo argentino de ser. E a direção consegue dar um dinamismo muito bom a ponto de nos envolver completamente em uma história que muita gente já sabe como começa e termina. Por conta disso, o filme com certeza consegue atingir diversas faixas etárias, ainda mais por colocar em evidência (como de fato aconteceu) todo o vigor de uma juventude em realmente ver pessoas sádicas na cadeia, mesclando com a maturidade do protagonista. 

E apesar de começar leve, o filme fica bem pesado do decorrer da trama. Os depoimentos das testemunhas têm toda a carga dramática que um longa do gênero deve ter. É impactante o que contam as vítimas, principalmente o caso da mulher grávida. E a argumentação de Strassera no final é brilhante, reforçando os delitos de privação ilegal da liberdade, torturas e homicídios e o crime contra a humanidade de desparecimento forçado, tudo com muito sadismo. 

Argentina, 1985 está disponível até o momento no Prime Vídeo, uma trama que realmente merece concorrer ao Oscar.

FICHA TÉCNICA

Título: Argentina, 1985
Direção: Santiago Mitre
Data de lançamento: 21 de outubro de 2022
Amazon Prime Video

Michele Lima

4 thoughts on “Argentina,1985 [Crítica]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!
Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!