O Próprio Enterro [Crítica do Filme]

Sou fascinada por filmes baseados em fatos reais e mais ainda com casos jurídicos e o longa O próprio enterro não me decepciona com as cenas de tribunais!

Jeremiah O’Keefe (Tommy Lee Jones) é dono de uma empresa funerária familiar, foi herói de guerra e lutou a favor dos direitos civis dos negros. É um homem de fácil empatia, ainda mais quando interpretado por um veterano. Passando por dificuldades financeiras, o protagonista, com muita resistência, tenta vender três de suas funerárias para um grupo poderoso chamado Loewen. Esperto, o CEO Ray (Bill Camp) aceita todas as condições, mas fica cozinhando o coitado Jeremiah. Meses depois, o acordo pelo lado canadense não foi assinado. O fato é que a empresa Loewen estava esperando a falência do protagonista e age de má fé.

O grande trunfo de Jeremiah é ter ao seu lado o jovem Hal (o excelente Mamoudou Athie) que logo percebe a manobra dos empresários e convence o protagonista a chamar advogado Willie Gary (Jamie Foxx), a contra gosto de Mike (Alan Ruck), advogado e amigo de Jeremiah de longa data. 

Conhecido por ser ótimo nos tribunais, Willie rejeita o caso por um combos de situações, como o fato de Jeremiah ser branco e que a ação não renderia muito dinheiro. No entanto, Hal convence Willie de que o caso poderia render muito mais, não só financeiramente, mas também prestígio, caso vencesse uma corporação grande. E assim, ele muda de ideia.


O embate de Willie com Mike rende ótimos momentos, já que o amigo do protagonista dava indícios de ser preconceituoso. Rende também quando ele enfrenta a advogada adversária. Mame (Jurnee Smollett) foi contratada pelo grupo Loewen por ser uma mulher negra e assim equilibrar a situação com o júri. Algo também pensado por Hal em relação a Willie. 

O longa tem dois temas interessantes: a briga no tribunal de um homem simples contra uma corporação e a questão racial. Nisso, também somos envolvidos pela amizade que surge entre Jeremiah e Willie. A química entre Jamie Foxx e Tommy Lee Jones funciona bem! Enquanto Foxx tende para a comédia quase caricata, Tommy Lee compõe um protagonista mais sereno, um velhinho carismático. Um bom equilíbrio.

O próprio enterro é filme “confort”, não se aprofunda nos temas espinhosos e apresenta bem os heróis e vilões, sem complexidade, mas envolve bastante com uma boa história. É um típico filme de domingo a tarde em que a gente só quer ver os mocinhos se dando bem. 

FICHA TÉCNICA

Título: O próprio enterro
Título Original: The Buria
Direção: Maggie Betts
Data de lançamento: 13 de outubro de 2023
Disponível até o momento no Prime Video

Michele Lima

One thought on “O Próprio Enterro [Crítica do Filme]

  • 7 de novembro de 2023 em 10:18
    Permalink

    Parece ser uma estória envolvente e com viés social e político.

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está no ar cheio de posts novos e novidades! Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+
Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+