A nova vida de Toby [Crítica da Série]

A nova vida de Toby é uma produção de excelência disponível no Star+, com um elenco de peso que conta com Claire Danes e Jesse Eisenberg.

Toby (Jesse Eisenberg) é médico, recém divorciado e pai de dois filhos. Não é fácil para o protagonista se adaptar a sua nova vida, mas ele sai quase sempre com mulheres no Tinder e sua vida sexual é bastante ativa, até que Rachel (Claire Danes) simplesmente abandona os filhos na sua casa. Quase toda a série é narrada pela amiga de Toby, Libby (a ótima Lizzy Caplan), e é por isso que nossa visão inicial de Rachel é das piores. No entanto, um espectador mais astuto, vai percebendo ao longo da história que Toby não é uma perfeição de homem, marido e pai. Na verdade, já no segundo episódio eu já considerava Toby bastante hipócrita e no terceiro veio um grande sinal de alerta, quando Rachel passa por duas situações complicadas e em uma delas Toby, está mais preocupado com sua posição de macho alfa do que qualquer outra coisa.

Sabemos que Libby nos conta o que Toby contou pra ela, mas é interessante que no meio do caminho ela também se torna uma personagem essencial nessa história. Tanto que no final ela é a protagonista. Entediada com a vida de mãe e dona de casa, Libby está também em um processo de auto conhecido, quase em busca do seu “eu” mais jovem. Ela é uma personagem diferente de Toby, bem como Seth (Adam Brody), amigo deles, também é diferente dos dois em quase tudo. Em alguns momentos o trio de amigos tenta se ajustar e com isso temos várias reflexões sobre a vida adulta, o que é estar em um relacionamento, ser pai, mãe e alinhar nossas expectativas com a realidade da vida.

A série, que é baseada no livro de Taffy Brodesser-Akner, vai construindo aos poucos um certo mistério sobre o paradeiro de Rachel e no penúltimo episódio, o sétimo, é que temos um verdadeiro soco no estômago. Libby nos conta os mesmos acontecimentos, mas sob o ponto de vista de Rachel. Curioso notar que enquanto Toby pinta a ex-mulher do monstro, Rachel tem uma visão até que bem mais gentil do ex-marido. Rachel é órfã, sempre quis ter uma família, mas foi evidente para mim desde sempre que ela e Toby pareciam incompatíveis em tudo que é mais importante em um casamento. E dói ver todos os traumas de Rachel em consequência de uma violência.

Rachel pode ser considerada uma mulher ambiciosa, mas é verdade também que é fácil para o Toby não ter ambição porque nunca precisou ter, sua vida sempre foi bem confortável. E Rachel é o tempo todo julgada como mãe enquanto tenta equilibrar a família com o trabalho. É óbvio que ela não consegue, mas é óbvio também que a sociedade entende bem mais homens ambiciosos do que as mulheres ambiciosas. 

É importante ressaltar o nível de qualidade altíssimo de interpretações, principalmente de Claire Danes no sétimo episódio. Digno de premiações!

Enfim, A nova vida de Toby foi um achado feliz, talvez não impacte tanto todas as pessoas como me impactou, mas certamente se você é um adulto já consciente das frustrações da vida, vai ficar por um tempo digerindo essa série.

Michele Lima

5 thoughts on “A nova vida de Toby [Crítica da Série]

  • 29 de março de 2023 em 13:44
    Permalink

    A série deve ser um tapa na cara. Gostei de conhecê-la.

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está no ar com muitos posts e novidades! Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    Resposta
  • 10 de julho de 2023 em 10:06
    Permalink

    O 7o episódio é o ápice da série. As duas mulheres dão show de interpretação, as lágrimas vêm naturalmente. E foi uma redenção aos 6 capítulos anteriores que só ouviram o sofrimento de Tobby. Mas, ainda assim, no 8o episódio, achei que Rachel foi esquecida de novo. Sem que Tobby reconhecesse seus erros…

    Resposta
    • 3 de agosto de 2023 em 15:02
      Permalink

      A história não escolhe lados, ela deixa claro que escutar as duas versões é essencial. Tem uma frase do Toby que resume bem a série: “tudo bem, ela teve um colapso nervoso, mas eu tenho que trabalhar e levar as crianças”.

      O casal, ao invés de resolver os próprios BOs, escolheu ter filhos (eles começam a tentar) antes de ser bem resolvido.

      Antes de criar responsabilidades novas, temos que resolver nossas responsabilidades atuais. Caso contrário, viverá exatamente o que está na série.

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!
Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!