Os Olhos de Tammy Faye [Crítica do Filme]

Os Olhos de Tammy Faye rendeu merecidamente o Oscar de melhor atriz a Jessica Chastain! O longa é uma cinebiografia da televangelista Tammy Faye Bakker e acompanha desde sua infância até a popularidade como cantora, e apresentadora ao lado do marido Jim Bakker

Já criança a protagonista dá enormes demonstrações de resiliência e fé, querendo fazer parte da igreja onde sua mãe divorciada sofria dificuldade em ser aceita por ter um segundo casamento. Na faculdade, Tammy conhece Jim e foi amor à primeira vista, tanto que se casam rapidamente. Mas já logo no início um olhar atento perceberia as artimanhas de Jim e sua extrema ganância, não para Tammy que tinha como solução para quase tudo amar, rezar e conversar. De uma personalidade fortíssima, a mulher acompanhava o marido em cultos itinerários até que conhecem um produtor de TV que dá uma oportunidade ao casal. Não demorou muito para Jim querer mais e fundou sua própria emissora religiosa, a PTL, no entanto, ele só consegue devido ao imenso apoio de Tammy e sua perspicácia. Perspicácia essa que ela não tinha quando se tratava do marido e se cega para todas as acusações de fraude que ele recebia constantemente. 


Jim Bakker foi condenado por fraudes e uma acusação de estupro. E fica claro que Tammy não se importava em aproveitar a vida de luxo que recebia e por isso não questionava muito sobre o dinheiro. Feliz, ela também não era, usando calmantes com frequência e se sentindo extremamente carente, já que Jim não se importava muito com a esposa. O casal é traído por outro líder evangélico, foram considerados párias, mas Jim ainda está vivo e pregando. Já Tammy, que faleceu em 2007,  sofreu bastante depois que Jim foi preso, sem emprego e era motivo de chacota por conta de sua maquiagem pesada. Entretanto, é sempre bom lembrar que no auge da epidemia do HIV, Tammy pregava o acolhimento falando em seu programa abertamente sobre a AIDS e indo de encontro aos movimentos feministas.

Com uma história muito boa, o roteiro falha com muitas passagens de tempo, deixando de lado alguns confrontos interessantes, além de não conseguirem abordar a enorme complexidade de Tammy, deixando-a apenas caricata. Inteligente, bondosa, mas o próprio roteiro mostra que não era tão boba a ponto de não perceber certas atitudes do marido. Mas isso não foi bem explorado, o que a meu ver tirou um pouco o peso da narrativa. 

Em termos técnicos, o trabalho de maquiagem é perfeito, tanto que ganhou o Oscar também merecidamente. A ambientação e figurinos das décadas de 70, 80 e 90 também fazem parte da narrativa, com transições sutis e necessárias. Jessica Chastain está incrível como Tammy Faye, completamente transformada na personagem em diversas passagens do tempo e Andrew Garfield bem amadurecido como ator  na verdade, já faz um bom tempo). 


Os olhos de Tammy Faye tem um trabalho belíssimo de maquiagem, figurinos e atores excepcionais em seus pais, falha como quase toda cinebiografia, é um gênero geralmente difícil de conseguir trabalhar a complexidade de seus protagonistas. 

Trailer

FICHA TÉCNICA

Título: Os olhos de Tammy Faye
Título Original: The Eyes Of Tammy Faye
Direção:  Michael Showalter
Data de lançamento: 6 de abril de 2022
Searchlight Pictures/ Star +

Michele Lima

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.