Animais Fantásticos: Os segredos de Dumbledore [Crítica]

Animais Fantásticos: Os segredos de Dumbledore é o terceiro filme da nova franquia do universo de Harry Potter. Devo dizer que é um filme melhor executado que os dois primeiros, marcando a saída de Johnny Depp para chegada de Mads Mikkelsen como o vilão Grindelwald.

Nessa continuação temos Dumbledore juntando um grupo liderado por Newt (Eddie Redmayne) para tentar parar os avanços de Grindelwald, em uma trama bastante política. Mas Alvo precisa lidar com seus remorsos e antigas relações, já que viveu uma grande paixão com o vilão, o que resulta em um complicado pacto de sangue. 

O grupo liderado por Newt tem a presença de Eulalie (Jessica Williams) que consegue recrutar Jacob (Dan Fogler), além do irmão de Newt, Theseus (Callum Turner), o irmão de Leta  Lestrange, Yusuf Kama (William Nadylam) e a assistente do protagonista que confesso ganhou toda a minha simpatia, Bunty (Victoria Yeates). Jacob continua sendo um dos melhores personagens na trama, seu seu amor por Queenie (Alison Sudol), suas inseguranças e sua coragem seguem em destaque, E agora mais envolvido do que nunca no mundo bruxo, ganhando a confiança de Dumbledore. Já o plot de Yusuf fica um pouco perdido na trama, bem como Theseus que se envolve em situações pouco explicadas. No entanto, é com ele e Newt uma das melhores cenas do longa, cheia de tensão e bom humor em uma cadeia bem assustadora (não, não é Azkaban). 

Como Grindelwald está sempre a uma passo à frente porque consegue ver parte do futuro, os personagens às vezes agem no escuro e isso cria boas tensões. A atmosfera política é maior com um Grindelwald a imagem e semelhança de qualquer ditador no mundo real. Aliás, a chegada de Mads Mikkelsen dá um ar mais sóbrio ao personagem, menos sombrio e impactante como foi o de Johnny Depp, mas isso se encaixa bem no roteiro que se torna mais verossímil, ainda que com varinhas e bruxarias. Pelo plot político temos Maria Fernanda Cândido com uma personagem que disputa o ministério da magia, infelizmente só tem uma fala e merecia mais! Mais porque tem um papel importante em uma das cenas com Jacob, além de seu embate político com Grindelwald. Sem falas a personagem carece de impacto.

E é preciso destacar Jude Law que consegue mostrar todo o peso que Dumbledore carrega pelos erros passados,  suas angústias e remorsos. Obviamente, Alvo tem uma trama mais explorada, não só pela relação com o vilão, mas também sobre os segredos de sua família. E Credence de Ezra Miller perde força na história, seu plot é praticamente resolvido, a não ser que J.K Rowling tenha guardado alguma surpresa para os próximos. Newt ainda é um protagonista empático e sua relação com os animais dá um toque de docilidade incrível, embora os animais tenham ficado cada vez mais em segundo plano, mesmo com a trama principal envolvendo um. Seu relacionamento com Tina (Katherine Waterston) fica estagnado. 

Todo fã dos livros terá seu coração um pouco aquecido com as cenas em Hogwarts, além da trilha sonora que nos remete a Harry Potter. Atuações boas, ambientação e figurinos excelentes, personagens carismáticos e bons efeitos visuais. Porém, apesar de bem executado, as falhas maiores ficam mesmo por conta do roteiro, com explicações rasas e soluções por vezes preguiçosas, como foi com o caso do pacto de sangue. 

No entanto, Animais Fantásticos: Os segredos de Dumbledore deixa uma boa impressão e boas expectativas para os próximos. 

Trailer

FICHA TÉCNICA

Título: Animais Fantásticos: os Segredos de Dumbledore
Título Original: Fantastic Beasts: The Secrets Of Dumbledore
Direção: David Yates
Data de lançamento: 14 de abril de 2022
Warner Bros Pictures Brasil

Michele Lima

One thought on “Animais Fantásticos: Os segredos de Dumbledore [Crítica]

  • 13 de abril de 2022 em 11:14
    Permalink

    Parece ser um excelente filme para os amantes de HP. Eu ainda não vi nenhum, mas tenho vontade.

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está de volta com muitos posts e novidades! Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.