Amor com Fetiche [Crítica do Filme]

Amor com Fetiche (Love and Leashes) é um filme de comédia romântica sul-coreano, baseado no famoso webtoon Moral Sense By Gyeoul e é mais um original Netflix. O elenco conta com Seohyun que faz parte do grupo feminino de k-pop Girls’ Generation, um dos meus grupos favoritos.

Jung Ji-hoo (Jun) acabou de ser transferido para um novo setor na empresa e lá ele conhece a Jung Ji-woo (Seohyun) sua colega de trabalho, que é considerada fria e mandona por todos. Ji-hoo passa a chamar atenção de todas as mulheres do serviço até mesmo da Ji-woo. Porém, ele sempre está rejeitando educadamente os convites para encontros.

Certo dia, sua encomenda para nas mãos de Ji-woo, já que os nomes são parecidos e ela descobre no pacote uma coleira. Ji-hoo até inventa que a coleira é do seu cachorro, mas o cupom da loja online para dominadores e submissos o entrega. Os dois se afastam e o protagonista se sente muito mal, numa festa até desabafa com Ji-woo, fala dos seus gostos e pede para que ela seja sua dominadora. 


Ji-woo rejeita a ideia no começo, mas pesquisa sobre BDSM e descobre que a ideia não a desagrada de fato. Ela aceita ser a mestra de Ji-Hoo e apresenta um contrato para os dois terem um relacionamento.

Quando a Netflix Korea começou a divulgar o filme, fiquei super curiosa porque quem assiste os dramas coreanos sabem que é muito raro falarem de sexo abertamente ou ter cenas mais calientes. Desde as fotos e vídeos promocionais já sabia que seria um filme bem engraçado e achei que não seria nada mesmo parecido com 50 tons de Cinza. Afinal de contas, estamos falando de um filme coreano. No entanto, até que fui surpreendida, os alívios cômicos foram poucos e o enredo trata o BDSM de uma forma bem realista. Mesmo não tendo cenas de sexo, o filme tem uma pegada sexy sem ser vulgar.

O mais legal de toda essa situação envolvendo os protagonistas é a questão de ter um homem submisso, sensível e ter certos gostos julgados pela sociedade. Ji-hoo é aquele tipo de homem sensível e que tem seus traumas. Já Ji-woo não sabe nada de ser uma dominadora, mas por causa de sua atração pelo protagonista, ela começa a aprender sobre o assunto. E o principal, ela começa a gostar de ser uma dominadora.


“Dominante ou submisso, sádico ou masoquista, todos estamos procurando alguém que aceite nosso verdadeiro eu sob a máscara, o amor ímpar que você pode encontrar se não desistir. Se achar essa pessoa, pode valer a pena virar sua vida de cabeça para baixo.”

Sendo bem sincera, eu adorei Amor com Fetiche e mais uma vez a Netflix acertou. Trouxe uma comédia romântica com um elenco muito bom e com conteúdo. 

Ariane de Freitas

One thought on “Amor com Fetiche [Crítica do Filme]

  • 15 de fevereiro de 2022 em 16:52
    Permalink

    Olá, Ariane.
    Fui surpreendida agora,, porque pelo menos as produções deles que eu assisti, mal tinha um beijo hehe. Vou anotar aqui para assistir futuramente.

    Prefácio

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.