Um Menino Chamado Natal

Filmes natalinos aquecem o coração e com Um Menino chamado Natal, baseado no livro de Matt Haig, não foi diferente, embora Klaus ainda seja o melhor filme do gênero da Netflix.
Tia Vera (Maggie Smith) é uma senhora meio ranzinha e ótima cantora de história e é isso que ela faz para três crianças na noite de Natal, conta a história de como a tradição começou. Nikolas (Henry Lawfull) perde a sonhadora mãe que acreditava na Vila dos Duendes e vive com o pai que é mais realista. A vida dos dois não é nada fácil devido a pobreza, mas quando o rei chama uma parcela da população para que se arrisquem no frio e nas montanhas para buscarem esperança, Joel aceita a jornada, deixando o filho com a irmã. Tia Carlota (a maravilhosa Kristen Wiig) não é nada animadora e faz da vida de Nikolas ainda mais difícil, até que ele sai em busca do pai junto com seu rato Mika (Stephen Merchant) que milagrosamente aprende a falar. No meio do caminho eles encontram um rena e dois duendes que o ajudam a sobreviver e encontrar o tão lendário vilarejo.
O problema é quando Nikolas chega na Vila dos Duendes descobre que o seu pai e um grupo de homens passaram por lá e sequestraram uma criança duende, fazendo com que eles sejam liderados pela amarga Mãe Vodol (Sally Hawkins) que não aceita mais interação com os humanos. Além disso, proíbe as festas no povo porque é uma maneira dos duendes baixarem a guarda. Assim, surge a Resistência, um grupo de duendes que querem ainda continuar festejando, principalmente no Natal. eles ajudam Nikolas a escapar, com o garoto promete trazer o menino sequestrado de volta.
É um longa mais simples do que eu esperava, tinha uma expectativa maior na parte da magia e os efeitos especiais não ajudaram muito nesse quesito, principalmente as cenas com a Rena. Em filmes do gênero, CGI ruim atrapalha a experiência. Henry Lawfull, Sally Hawkins e a sempre excelente Maggie Smith sustentam bem a narrativa. Aliás, os comentários pontuais de Tia Vera ajudam bastante no ritmo que por vezes é lento. E no final a revelação sobre a identidade dela também agradou bastante.
Nikolas é um personagem muito carismático, de grande resiliência e bondade, o clássico espírito natalino, um bom protagonista. E Zoe Margaret Colletti como a fada que ama explosivos e nunca mente também rouba as cenas alguma vezes.
Um Menino Chamado Natal não inova o gênero e é mais simplista do que eu espera, eu queria muito mais da Vila dos Duendes em termos de ambientação e o realismo no início atrapalha um pouco o ritmo do filme, mas é um longa carismático, bom para o Natal.
Trailer

FICHA TÉCNICA
Título: Um Menino Chamado Natal
Título Original: A Boy Called Christmas
Direção: Gil Kenan
Data de Lançamento: 24 de novembro de 2021

Netflix


Michele Lima

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.