À espreita do mal [Crítica do Filme]

Dona Netflix foi esperta demais na compra de À espreita do mal, fazia tempo que não era tão enganada por um filme e foi bom demais!
Do diretor Adam Randall (iBoy), o roteiro de Devon Graye nos apresenta uma trama inicial que mostra uma família cheia de problemas. Jackie (Helen Hunt) está tentando recuperar a confiança do marido, o detetive Greg (Jon Tenney), e seu filho Connor (Judah Lewis) está revoltado com as atitudes da mãe. Enquanto isso, Greg investiga uma série de desaparecimento de crianças na região que parecem estar ligados aos crimes cometidos no passado.
Algo muito estranho acontece na casa, alguém desconhecido abre a porta para o vidraceiro, a televisão liga sozinha, algo ou alguém puxa cobertas à noite, prende Greg no armário, talheres somem, tudo muito esquisito, mas mais esquisito ainda é quando o arco se fecha e o filme nos mostra absolutamente tudo de outra perspectiva, completamente inesperada. Temos um plot twist fantástico, depois outro e depois outro, são tão reviravoltas inusitadas que é impossível não se sentir enganado. E no final das contas, tudo está ligado ao desaparecimento das crianças.
A direção foi perspicaz nos cortes e o roteiro inteligente nos induz ao erro o tempo todo. É certo que tantas subtramas fazem com que o filme acabe perdendo o foco em alguns momentos, nem tudo é explicado nos mínimos detalhes, mas quando chega no final tudo faz sentido.
Spoiler
Sem dúvida nenhuma o mais interessante do filme fica pela perspectiva dos invasores da casa, eu não sabia nada sobre “phrogging”, mas em casas tão grandes quanto as americanas, é bem possível de acontecer. Claro que nós mortais em casas normais dificilmente teríamos alguém morando com a gente sem ser descoberto. Partes das cenas são gravadas em found footage, o que nos dá uma sensação maior de documentário e as atitudes de Alec (Owen Teague de It: A Coisa), são bem questionáveis. Um personagem visivelmente perturbado com algo, mas o longa guarda um plot twist sobre isso também.
Fim do spoiler

As diversas tramas confundem o espectador, mas o suspense vai aumentando à medida que as reviravoltas acontecem. Á espreita do mal é um filme diferente, sem dúvida e bem executado. Uma boa surpresa!
FICHA TÉCNICA
Título: À espreita do mal
Título original: I See You
Direção: Adam Randall
Data de lançamento: 21 de abril de 2021
Netflix

Michele Lima

3 thoughts on “À espreita do mal [Crítica do Filme]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+
Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+