BlackBerry [Crítica]

Quem nasceu numa época sem internet em suas casas e sem celular sabe o quão revolucionário foi o BlackBerry! O longa que leva o nome do aparelho mostra a história do primeiro smartphone, aquele que conseguiu unir o telefone e mensagens de email ao mesmo tempo.

O filme, que está disponível no Prime Vídeo, mostra a ascensão e a queda do aparelho, mas foca bastante em seus criadores Mike Lazaridis (Jay Baruchel) e Doug Fregin (Matt Johnson que também dirige o filme), além de Jim Balsillie (Glenn Howerton), o empresário com caráter questionável.

Mike era o engenheiro gênio e CEO da Research In Motion (RIM), empresa criadora do BlackBerry, e junto com Doug, seu melhor amigo de infância, tentava vender a ideia do celular que conseguia receber email. Mike era um homem tímido, Doug era um nerd mais extrovertido, eles não conseguiam vender a ideia porque simplesmente a apresentação deles era horrível. Mas ao tentar vender para a empresa que Jim Balsillie trabalhava, conseguem chamar a atenção do empresário.

Jim foi demitido por atitudes dúbias e percebeu que o BlackBerry poderia dar certo e entra na RIM como CEO, fazendo modificações drásticas na pequena empresa de nerds. Seu confronto direto é com Doug que deixava seus engenheiros trabalharem como queriam, sempre com muita diversão e às vezes com pouco trabalho. Se por um lado Jim era mais linha dura, Doug era mais tranquilo e Mike era influenciado pelos dois. Primeiro por Doug que até falava em nome do amigo e depois pela esperteza de Jim que fez da Rim uma grande empresa com o BlackBerry dominando 45% do mercado de celulares!

Porém, depois da ascensão veio a queda que começa com as limitações do celular em relação ao tráfego de dados. Para resolver o problema Jim “rouba” engenheiros de grandes empresas como o Google e os contratos ilegais em alguns momentos são motivos de investigação. Porém, quando tudo parecia resolvido, a Apple aparece com Iphone, transformando completamente o mercado e deixando o BlackBerry obsoleto.

A história e seus pormenores é pública, mas bem interessante, só que o diferencial do longa são as relações humanas, Mike é a figura central dessa história, como um homem inteligente, mas de personalidade fraquíssima. E a direção acerta em várias referências do mundo nerd e o roteiro com sarcasmo, às vezes até usando de vergonha alheia. Ou seja, é um filme que foge, de modo perspicaz, do melodrama de longas baseados em fatos reais.

BlackBerry é tem uma história simples, mas se destaca por nos entregar bons personagens em excelentes atuações (Glenn Howerton principalmente), sem drama exagerado e ainda uma boa pitada de humor!

FICHA TÉCNICA

Título: BlackBerry 
Direção: Matt Johnson (III) 
Data de lançamento: 12 de outubro de 2023
Diamond Films
Disponível no Amazon Prime Video

 

Michele Lima

One thought on “BlackBerry [Crítica]

  • 5 de março de 2024 em 15:30
    Permalink

    Parece ser um filme bem legal e interessante. Confesso que queria ter um smartphone desse.

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está em HIATUS DE VERÃO do dia 03 de fevereiro à 06 de março, mas comentarei nos blogs amigos nesse período. O JJ, portanto, está cheio de posts legais e interessantes. Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!
Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!