Velozes e Furiosos 10 [Crítica do Filme]

Quem diria que Velozes e Furiosos (2001), com tema inicial focado em corridas de ruas ilegais, se transformaria em uma das franquias mais lucrativas da indústria no gênero de ação e, em 2023, chegasse à marca de dez filmes. Velozes e Furiosos 10, dirigido por Louis Terrier é a primeira parte de uma trilogia que propõe finalizar definitivamente a saga principal da família Toretto

Após os eventos de Velozes e Furiosos 5: Operação Rio (2011), onde Brian O`Conner (Paul Walker), Dominic Toretto (Vin Diesel) e sua equipe conseguiram acabar com os planos do chefe do crime Hernan Reyes (Joaquim de Almeida), eles não estavam preparados para o que vinha no futuro. O filho de Reyes, Dante (Jason Momoa), que presenciou o ocorrido, está em busca de vingança contra tudo e todos que destruíram o legado de seu pai, principalmente contra Dominic Toretto.  

O principal destaque do longa fica a cargo da introdução do antagonista vivido por Momoa, que tem uma presença marcante do início ao fim dessa jornada que será exaustiva para nossos heróis. O personagem é extremamente caricato se tornando um vilão genérico, mas ao mesmo tempo é cativante pelo carisma do ator e também pela sua genialidade em arquitetar seus planos e inteligência sempre à frente dos seus oponentes. Além de se distanciar dos demais apresentados nos filmes anteriores.  


Por outro lado, temos a adição de Brian Toretto (Leo Abelo Perry), filho de nosso protagonista que é a base fundamental para o avanço da narrativa. No entanto, os demais coadjuvantes que estão separados em núcleos são pouco explorados, servindo mais para base de alívio cômico e transições de ação. Como por exemplo a volta de Jakob Toretto (John Cena) que no longa anterior era oposto do que é apresentado aqui. 

Em suma, há diversos tópicos que ficam em aberto diante da perspectiva substancial da trama, assim enfraquecendo ainda mais seu roteiro. Porém, a explicação para essa proposta é simples, já que estamos tratando como um “prelúdio” sobre a finalização desta franquia, que poderá ter seus desfechos explicados e concluídos mais pausadamente como uma minissérie em três capítulos. 

A história é sim muito rasa em seu desenvolvimento, mas a saga se moldou para esse quesito. As cenas de ação são bizarras e é o que o público cativo espera: ver carros saindo totalmente das leis de física como um game e os próprios personagens brincam com este fato. Se não mergulhar na produção de mente aberta e deixar sua cosmologia proposta entrar, dificilmente o espectador sairá satisfeito. Mas aos que gostam, continuarão curtindo e certamente sairão felizes com gostinho especial, já que o longa é cheio de referências aos demais filmes. 

FICHA TÉCNICA

Título: Velozes e Furiosos 10
Título Original: Fast X
Direção: Louis Leterrier
Data de lançamento: 18 de maio de 2023 
Universal Pictures Brasil

Lucas Venancio

One thought on “Velozes e Furiosos 10 [Crítica do Filme]

  • 23 de maio de 2023 em 13:03
    Permalink

    Quero muito assistir, apesar que não deve acrescentar nada em minha vida.

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está no ar com muitos posts e novidades! Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+
Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+