Amanhã [Crítica do Dorama]

Amanhã (Tomorrow) é um K-drama que estava na minha lista de doramas para assistir na Netflix, desde o seu lançamento. Na época vi muitos grupos de doramas falarem super bem dele e até peguei alguns spoilers, o que não me desanimou!

No elenco temos Kim Hee-Sun, Ro Woon, Lee Soo-Hyuk, Yoon Ji-On e Kim Hae-Sook que são rostos bem conhecidos da Coreia e pelos dorameiros. Para quem não sabe, a série é baseada no webcomic Naeil” de Ra Ma.

No primeiro episódio temos o jovem Choi Jun-woong (Ro Woon) sofrendo um acidente, por tentar salvar um desconhecido que estava prestes a se suicidar pulando da ponte. Ele fica em coma e seu espírito acaba parando em Jumadeung, que é o lugar em que vivem os ceifadores. Lá, ele recebe a proposta de trabalhar como ceifador durante seis meses e assim que seu serviço terminar, ele retorna ao seu corpo com a promessa de viver uma vida boa.

O personagem acaba trabalhando com a ceifadora chefe Ryeon (Kim Hee-sun) da equipe de gerenciamento de riscos (responsável por evitar suicídios). A cada episódio, eles tentam salvar uma pessoa que está tentando tirar a própria vida.

“As feridas que não se curam sozinhas deixam uma cicatriz profunda.”

Em uma mistura de fantasia com realismo, Amanhã me trouxe um dos melhores enredos que já vi na vida. Com uma humanidade incrível, em cada episódio vamos acompanhar problemas diferentes. Não só o da pessoa que vive a dor, mas também de quem está ao redor.

“A dor me faz esquecer o medo por um momento. Agora preciso de dor para viver.”

Eu poderia descrever mais a série, porém vou descrever apenas alguns episódios que me fizeram chorar que nem uma condenada.

No episódio seis um veterano de guerra está prestes a morrer, mas ele não sabe disso, ele está prestes a matar. Por causa disso, a equipe de prevenção a suicídios terá que trabalhar juntamente com a equipe da escolta, a missão deles é não deixar o veterano acabar com a própria vida e prepará-lo para sua morte. É um episódio que retrata perfeitamente que nem todos os veteranos de guerra recebem a sua fama/glória. Muitos voltam para casa cheios de traumas. Alguns tinham quase nenhuma formação e viviam em uma vida precária, sem muito saber o que se passaria em um ambiente de guerra. Nesse episódio, a personagem Ryeon me emocionou com suas falas. No final do episódio as duas equipes se juntam para prestar uma homenagem ao veterano e chorei ainda mais.


Outro episódio que me emocionou bastante é sobre a história de um cachorro que quer se suicidar porque ele está morrendo e isso está causando um sofrimento enorme ao seu dono. Quem me conhece, sabe o quanto eu amo os cachorros e acredito fielmente que os animais são seres mil vezes melhores do que nós. No decorrer do episódio, eu e meu filho (que acabou vendo um pedaço comigo) choramos horrores. Os ceifadores dão uma aula, mostrando que os animais também têm sentimentos e que eles nos veem como amigos, não como donos. Em muitas cenas mostram a visão do cachorrinho, dá para sentir a dor dele.

“Se uma dor entra em seu coração, fica gravada na sua alma e afeta sua próxima vida.” 

Temos também o episódio pesado do estupro! Uma jovem sofre abuso e o abusador fica livre. Os ceifadores terão que tentar convencer a jovem a não se matar, mas será uma missão bem complicada, o tema é um gatilho para um deles. Esse episódio eu chorei e fiquei com muita raiva do sistema e da sociedade, já que nem sempre existe uma solução devida para os casos. Além do fato da vítima ser sempre tratada como culpada

Por fim, vale mencionar também o episódio onde as meninas eram enganadas e paravam em cartéis no Japão na época da guerra. Elas eram abusadas sexualmente e sofriam todos os tipos de abusos. Lá, elas se tornavam as meninas de conforto (prostitutas) e tinham isso marcado em suas peles. 

Aconselho assistirem ao dorama com uma caixa de lenços do lado, vários temas bem pesados são abordados e alguns podem gerar gatilhos!

E apesar de cada episódio tratar de assuntos diferentes, eles são interligados com alguma parte do passado dos ceifadores. Aos poucos vamos descobrindo o motivo de cada um se tornar um ceifador. Já na reta do dorama, vemos a vida passada da personagem Ryeon e entendi toda a sua personalidade e motivos para ela ser quem é.

Amanhã entrou para a minha lista de k-drama favoritos da vida. Consegui rir em alguns momentos e chorar em muitos outros! E fiquei feliz com o episódio final. Foi um dorama que me gerou muita reflexão. 

Enfim, Amanhã termina com uma deixa para uma possível segunda temporada, que se tiver com certeza irei conferir. 

Ariane de Freitas

2 thoughts on “Amanhã [Crítica do Dorama]

  • 2 de julho de 2023 em 11:59
    Permalink

    Nossa você descreveu exatamente o que senti assistindo esse dorama. Inclusive destacou os mesmos que me marcaram muito!

    Resposta
  • 23 de novembro de 2023 em 00:58
    Permalink

    Eu terminei a série hj,só a conheci a uns dias atrás,vi ela super rápido porque é magnífica,eu amei tudo,e vc descreveu o que eu senti em tudo,e pelo que vejo os mais fortes e emocionantes são os mesmo que eu me lavei de tanto chorar! Sem dúvida ela entrou para lista de kdrama favorito!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!
Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!