Cavaleiro da Lua [Crítica da série]

Cavaleiro da Lua é uma das novas produções da Marvel. Uma série curta de 6 episódios que teria sido melhor se tivesse lançado tudo de uma vez, já que não é longa.

Steven Grant (Oscar Isaac) é um homem gentil e educado funcionário de uma loja de souvenir em um museu, mas sofre com constantes apagões e memórias de outra vida. Steven sofre de transtorno dissociativo de identidade, dividindo a vida com o mercenário Marc Spector que é o avatar do antigo deus egípcio Khonshu. À medida que os inimigos de Steven/Marca aparecem, os dois precisam lidar com as complexas identidades enquanto mergulham em uma trama misteriosa sobre deuses egípcios.

O grande vilão da trama é Arthur Harrow (Ethan Hawke), um fanático religioso líder de culto a Ammit que tem como propósito ressuscitar a deusa e fazer a sua justiça que é bem diferente da de Khonshu. Para Ammit o importante é acabar com mal antes mesmo que ele se manifeste, mesmo que a pessoa ainda não tenha feito nada, ela deve morrer porque no futuro ela fará. Obviamente, é uma análise que retira os diversos caminhos que a vida de alguém pode seguir. Também vale destacar May Calamawy como a personagem Layla El-Faouly, esposa de Marc, que assim como nós não entende bem o que está acontecendo e quem é Steven.


A série começa com um excelente mistério, com cenas de terror e suspense, muito bem dirigidas, além de boas cenas de ação! E ao longo do caminho a trama ganha contornos mais dramáticos quando se aprofunda no passado no protagonista e no trauma que o leva a ter mais de uma personalidade. As cenas no hospital psiquiátrico nos fazem duvidar do que é real e do que é pura imaginação de Steven/Marc. E de uma maneira bem diferente temos um triângulo amoroso.

Apesar de ter uma história muito boa e uma dinâmica rápida e nada cansativa, a série acaba ficando superficial nas suas resoluções. O protagonista e seu transtorno dissociativo de identidade é bem explorado, o que faz o trabalho de Oscar Isaac ser um grande destaque, graças a sua versatilidade incrível! No entanto, como tudo se resolve fica a desejar, poderia ter mais alguns episódios e finalizar melhor a narrativa.

De qualquer forma foi bom acompanhar Cavaleiro da Lua, a série mescla bem  o suspense, terror, ação e mitologia grega e nos apresenta um protagonista que rende e poderia ter rendido até mais.

Michele Lima

One thought on “Cavaleiro da Lua [Crítica da série]

  • 15 de junho de 2022 em 12:11
    Permalink

    Essa não me chamou tanto a atenção, mas deve ser uma série muito boa e inteligente. Adorei a resenha!

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está de volta com muitos posts e novidades! Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.