Sing 2 [Crítica do Filme]

É bastante difícil uma continuação ser melhor do que o primeiro filme, mas tenho minhas dúvidas em se falando de Sing! O primeiro foi espetacular com a seleção de diversos personagens para o musical de um teatro quase falido. Agora esses mesmos personagens estão na expectativa de levarem o show deles para Redshore!

Buster (Matthew McConaughey) segue com sonhos maiores, mas depois de receber um “não” fica desacreditado, até que é convencido a tentar a todo custo conseguir um show em Redshore, nem pra isso ele precise enganar o lobo Jimmy Crystal, dizendo que terá a figura do rock que se isolou do mundo, Clay Calloway, no seu musical.

O coala Buster leva suas principais atrações, buscando Ash (Scarlett Johansson) para retornar ao grupo e cada um tem um plot desenvolvido. Gunter (Nick Kroll) é o dono da história e incrivelmente consegue convencer Jimmy sobre uma história que se passa no espaço. Rosita (Reese Witherspoon) tem o apoio da família, do marido e dos inúmeros filhos e quer realizar o sonho de protagonizar um musical de grande porte, Meena (Tori Kelly)  tem que lidar com um parceiro que não tem química com ela, ao mesmo tempo que se apaixona, Johnny (Taron Egerton) enfrenta a dificuldade de aprender a coreografia com um professor intragável e Ash (Scarlett Johansson) tem a missão de convencer Clay Calloway (Bono) a voltar a cantar. No entanto, quem rouba a cena várias vezes é a secretária Miss Crawly (Garth Jennings), sem dúvida uma das melhores personagens.


Toda montagem do musical passa por dificuldade, Rosita tem medo de altura e acabam tendo que colocar Porsha (Halsey), filha de Jimmy no lugar, mostrando todo seu nepotismo. O problema é que Jimmy é mais do que um empresário temperamental, é realmente o grande vilão da história. E destaque para Clay Calloway, que perdeu a esposa e não quer mais voltar a cantar até encontrar Ash. 

É bem comum os roteiros de continuações serem forçados ou fracos, mas Sing 2 apresenta uma história muito consistente sem deixar a parte musical de lado, já que segue com uma brilhante trilha sonora. A dublagem brasileira conta com Wanessa Camargo, Sandy, Fiuk, Lexa e muito mais. 

Trailer

FICHA TÉCNICA

Título: Sing 2
Direção: Garth Jennings
Data de lançamento: 6 de janeiro de 2022
Universal Pictures

Michele Lima

One thought on “Sing 2 [Crítica do Filme]

  • 4 de janeiro de 2022 em 02:47
    Permalink

    Oi, Mi! Tudo bom?
    Eu não cheguei a ver o primeiro porque não me instigou curiosidade, mas quem sabe surge a vontade algum dia desses, ainda mais agora que já tem o 2 pra ver também!
    Adorei o site novo, o design tá lindão!

    Beijos, Nizz.
    http://www.queriaestarlendo.com.br

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.