Gavião Arqueiro [Crítica]

Gripadíssima passei uma tarde de sexta-feira maratonando Gavião Arqueiro e foi a melhor coisa do meu dia. Curta, com apenas 6 episódios, a série me agradou por ser até bem simples, nada de teorias mirabolantes com Vingadores, apenas uma história sobre Clint Barton, (Jeremy Renner) embora Kate Bishop (Hailee Steinfeld) tenha sido a verdadeira protagonista. 

Pobre Clint ainda sofre bastante com a morte de Natasha, mas está tentando passar o natal com os filhos e ser um bom pai, mas seu uniforme antigo de Ronin aparece em um leilão e Kate Bishop acaba usando e desencadeando uma série de problemas, já que Ronin é um homem procurado.

A série começa com Kate ainda criança perdendo o pai quando Nova York é invadida nos eventos do primeiro filme de Vingadores. Da janela do seu apartamento, ela vê Gavião Arqueiro sem super poderes lutando contra alienígenas apenas com seu arco e isso a incentiva a ser uma excelente arqueira. Kate também é boa em artes marciais e esgrima, ela passou a vida jurando que protegeria sua mãe caso acontecesse alguma coisa novamente. Mas como quase todo jovem, Kate é bem inconsequente.


Sua mãe, Eleanor (maravilhosa Vera Farmiga), triplicou a fortuna do falecido marido e agora vai se casar novamente, mas Kate não suporta Jack  (Tony Dalton) e ao investigar ele e seu tio descobre um leilão clandestino que é atacado pela Gangue dos Agasalhos que estava atrás de um misterioso relógio, mas durante o ataque o uniforme e espada de Ronin estavam sendo leiloados e para não ser vista, Kate acaba usando a roupa e sendo confundida com o misterioso assassino de gangues. Agora, Clint, o verdadeiro Ronin, precisa ajudar Kate, investigar seu futuro padrasto que parece estar envolvido em tudo, se livrar da Gangue dos Agasalhos e voltar em seis dias para o natal com a família. Claro que ainda tem muitas surpresas para atrapalhá-lo.

Kate tem verdadeira adoração pelo Gavião Arqueiro, mas ele não quer uma parceira, ele nem quer voltar a ativa, tudo que Clint quer é passar o natal com os filhos, mas sua relação com Kate é ótima! Ela é impulsiva, inteligente e engraçada e mesmo fazendo tudo errado tem um carisma enorme, bem como os coadjuvantes porque Clint até encontra um grupo bem peculiar que finge nos fins de semanas que vivem na idade média.


A série é repleta de ação do início ao fim, tudo muito bem coreografado, obviamente uma produção de alta qualidade. Claro que a gente sabe que um verdadeiro grupo de mafiosos teriam muitas armas e que duas pessoas com arco e flecha não teriam muita chance contra tiros, mesmo com toda a tecnologia que Clint usa, mas a gente finge pra embarcar na história.

Além da ação, a série também tem ótimos alívios cômicos e um pouco de drama, temos alguém do passado da Viúva Negra e um vilão antigo aparecendo.  Sem contar a ótima química de Jeremy Renner e Hailee Steinfeld.

Despretensiosa, Gavião Arqueiro (ou Hawkeye em inglês) acerta no ritmo, na curta duração e em uma trama simples e eficaz. Recomendo.

Michele Lima

2 thoughts on “Gavião Arqueiro [Crítica]

  • 17 de janeiro de 2022 em 21:19
    Permalink

    Oi, Mi! Tudo bom?
    Eu fui pra Hawkeye sem expectativa nenhuma pois ranço do ator, e acabei favoritando a série. A Hailee tá FABULOSA, nasceu pra interpretar a Kate, e todas as cenas são muito boas, diálogos bem fluidos, tem aquele clima de filme de ação família que eu adoro tanto. E a participação especial lá no fim!!!!!!! Berrei até explodir.

    Beijos, Nizz.
    http://www.queriaestarlendo.com.br

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.