Cinema Panopticum [Resenha]

Apenas folheando Cinema Panopticum é possível notar a atmosfera macabra que Thomas Ott nos proporciona. Com uma história simples e praticamente sem nada escrito nos envolvendo com a garota, protagonista desse enredo curto, mas que nos leva a diferentes contos inesperados.

A protagonista visita um parque de diversão, mas nada a encanta a ponto de gastar suas moedas, até que encontra cabines de cinetoscópio, um aparelho que seria considerado o primeiro projetor de cinema. Com filmetes de 30 a 60 segundos, fotografias se repetem em looping, como um carrossel de imagem em sequência que dá efeito de movimento. Assim, a menina encontra diferentes histórias de terror com finais bem inesperados.

O livro é curto, mas nos dá uma sensação de observação, como se fossemos voyeurs mórbidos, apenas aguardando o trágico final das histórias. A minha preferida foi O Hotel em que um homem vai se hospedar e encontra um banquete no hotel, mas começa a passar mal de madrugada provavelmente envenenado pela comida. O final com a barata é simplesmente genial. Já O experimento me fez rir com a solução do médico, é uma história de puro horror, mas com certa comicidade no final. E todas as histórias vistas pela protagonista são assim, de puro terror e finais interessantes. 

Thomas Ott domina o universo das sombras usando preto e branco provocando uma sensação fantasmagórica onde a ausência de diálogo colabora com o ambiente de terror.

A edição da DarkSide® Books tem introdução da pesquisadora Maria Clara Carneiro que comenta um pouco sobre o autor e sua técnica que parecem gravuras, em que as ranhuras pretas contribuem com o ambiente lúgubre das histórias. Ott usa a técnica do scratchboard (ou carte à gratter): “primeiro, faz o desenho em uma folha, o copia sobre o papel de riscar e, enfim, talha o papel escuro com um estilete, criando esse efeito rasgado, das pequenas linhas sobre a superfície”.

Enfim, Cinema Panopticum é a combinação perfeita de quem gosta de terror, quadrinho e cinema! Apesar de não dar medo, nos coloca como observadores de histórias intrigantes e bem macabras. O único problema da obra é que termina muito rápido, eu queria mais!

FICHA TÉCNICA

Título: Cinema Panopticum 
Autor: Thomas Ott
Editora: DarkSide® Books
Onde Comprar:  DarkSide® Books e Amazon

Michele Lima

One thought on “Cinema Panopticum [Resenha]

  • 4 de fevereiro de 2022 em 00:05
    Permalink

    Curti muito esse quadrinho! E a arte é incrível. E pensar que é todo talhado com estilete, que trabalho foi esse!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.