Virgin River [Crítica da série]

Primeiro contato com Virgin River com a sinopse super pobre da Netflix: “Uma enfermeira se muda de Los Angeles para uma cidadezinha no norte da Califórnia em busca de um recomeço. Mas a nova vida vai ser bem diferente do que ela imagina.” Por essas poucas linhas eu não tinha a menor ideia do que esperar da série, mas me arrisquei e foi uma das melhores séries assistidas esse ano. Que grata surpresa.
Mel (Alexandra Breckenridge) se muda de Los Angeles após perder o marido de maneira traumática e sua chegada em Virgin River não é das melhores, primeiro que ela ofende sem querer seu futuro chefe, o médico ranzinza chamado de Doc (Tim Matheson) e depois descobre que a cabana que achava que era maravilhosa está caindo aos pedaços. No entanto, logo ela conhece Jack (Martin Henderson), o dono do único bar da cidade que acaba sendo um faz tudo para ela; a atração dos dois é certeira! No entanto, o casal tem muitas complicações, primeiro que Mel ainda está de luto, segundo que Jack é comprometido!
E o mais interessante da série é que outros núcleos acabam sendo bem interessantes! É bem bacana ver a Mel conquistando o Doc com suas habilidades profissionais e seu relacionamento com Jack é encantador, mas minha personagem preferida sem dúvida é a prefeita Hope (Annette O’Toole). Responsável pela chegada de Mel, Hope tem o pequeno problema de se intrometer na vida de todo mundo, mas geralmente ela está sempre certa, exceto quando o assunto é o Doc, o romance da terceira idade me agradou demais! Em alguns momentos chegou a ficar mais interessante que o romance principal.
A série tem outras histórias que que realmente prendem atenção, sabemos que Paige (Lexa Doig) guarda um segredo importante e que Preacher (Colin Lawrence) claramente gosta dela. temos também Bradly (Benjamin Hollingsworth) que não é nada confiável e um grupo de traficantes perto da pacata de Virgin River que vai movimentar bem a série. E Charmaine (Lauren Hammersley) com quem Jack está envolvido e que guarda um plot que movimenta bastante a série toda.
Virgin River tem poucos episódios por temporada, o que é uma pena, mas é uma série com um lindo cenário e histórias cativantes, de aquecer o coração no inverno.
Michele Lima

One thought on “Virgin River [Crítica da série]

  • 2 de setembro de 2021 em 18:34
    Permalink

    Oi, Mi! Tudo bom?
    As sinopses da Netflix nunca dizem nada direito sobre as histórias, né? Eu odeio UHAHUSUHSAUHSA
    Tinha visto um pessoal falando dessa série, mas não tô muito na vibe de ver dramas do tipo. Quem sabe um dia!

    Beijos, Nizz.
    http://www.queriaestarlendo.com.br

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dorama: Uma Família Inusitada Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino
Dorama: Uma Família Inusitada Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino