O Regresso [Resenha do filme]

Ganhador de três globos de ouro (melhor diretor, melhor ator em filme de drama e melhor filme categoria drama), tem um diretor mexicano, o que ressalta um olhar muito diferenciado frente a outros filmes americanos que abordam a questão da marcha para o Oeste, e ainda por cima Leonardo DiCaprio como o protagonista. Esses fatores já seriam o suficiente para chamar atenção de qualquer pessoa e ir correndo ao cinema mais próximo. 
Porém, Alejandro González Iñárritu parece mesmo que é um diretor que veio para nos cativar (dirigiu também Birdman, 2015, e Babel, 2006) e acima de tudo provocar por meio da adaptação do romance de Michael Punke que foi inspirada na história real de Hugh Glass. O filme pouco dialoga com a personagem histórica Hugh Glass, mas tem uma riqueza nos quesitos enquadramento e som que surpreende bastante, além de ser talvez uma das melhores senão a melhor interpretação de Leonardo DiCaprio
O enredo é simples e tem como ponto central o momento em que o explorador e comerciante de peles, Hugh Glass, é gravemente ferido após um ataque de um urso e acaba sendo abandonado na floresta para morrer pelos seus companheiros. No entanto, Glass sobrevive e parte à procura de vingança contra aqueles que o deixaram para morrer. Ao logo dessa trajetória Alejandro González nos apresenta uma série de imagens e falas fortes que nos fazem não apenas repensar em como o processo de colonização foi destrutivo no período, mas ainda é hoje. Falas como: “não importa o que você diga, eles sempre te julgarão pela sua pele” são Chaves para identificarmos que o racismo ainda hoje existe e é uma questão de pele/cor. 
A dificuldade de muitos grupos em se reconhecer como índios ou descentes está justamente numa construção antiga do século XIX, mas muito em voga que seria: branco, europeu como sinônimo de civilizado e ameríndio e mestiço o símbolo da selvageria e da barbárie. A questão das mulheres indígenas vítimas da prostituição também é algo muito interessante, poderia ter sido mais aprofundado, mas ainda assim ser como reflexão para se pensar sobre o tal mito da igualdade racional (e de gênero)… 
Dados do filme
O Regresso
Título Original: The Revenant
Ano: 2016
Diretor: Alejandro González Iñárritu
Bjs,
Juliana Cavalcanti

11 thoughts on “O Regresso [Resenha do filme]

  • 10 de fevereiro de 2016 em 13:04
    Permalink

    oi, oi.

    vi muita crítica positiva a respeito desse filme, inclusive todos torcendo pro DiCaprio levar um prêmio por esse longa. #oremos

    eu ainda não assisti, mas confesso que a história me chamou bastante a atenção. assim que eu tiver um tempinho, que vê-lo.

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    Resposta
  • 10 de fevereiro de 2016 em 13:07
    Permalink

    adoro esse diretor, adoro o di caprio, ia ver ontem mas estava longe de casa. beijos, pedrita

    Resposta
  • 10 de fevereiro de 2016 em 14:54
    Permalink

    Olá, Juliana.
    A premissa é realmente bem simples, mas parece ter recebido um ótimo tratamento de um bom diretor.
    Quero muito conferir esse trabalho.

    Desbrava(dores) de livros – Participe do top comentarista de fevereiro. Serão dois vencedores!

    Resposta
  • 10 de fevereiro de 2016 em 19:54
    Permalink

    Oi.
    Vou ver esse filme hoje.
    Os outros dois filmes desse diretor, citados na resenha, Birdman e Babel, são excelentes.
    Saem da mesmice e tem o aspecto fotográfico muito evidente.
    As resenhas desse filme geralmente não contam muita coisa sobre o enredo em si, o que pra mim é excelente, pois não gosto de spoillers.
    Mas todas as resenhas exaltam o trabalho do diretor e do ator Leonardo di Caprio.
    Estou com uma expectativa alta pelo filme.
    Mais tarde saberei se é tudo isso mesmo haha.
    Abraços.
    Diego || Diego Morais Viana

    Resposta
  • 10 de fevereiro de 2016 em 22:58
    Permalink

    Oi! Será que desta vez o Leo ganha o Oscar? Eu não estava muito afim de ver o filme, mas a atuação dele tem sido tão elogiada que vou acabar assistindo.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    Resposta
  • 11 de fevereiro de 2016 em 00:03
    Permalink

    Preciso assistir. Um amigo achou chato. Mas normalmente gosto das coisas que ele acha chato 😛

    Resposta
  • 11 de fevereiro de 2016 em 20:26
    Permalink

    Oi, Juliana!
    Eu quero muito ver esse filme. Soube recentemente que foi levemente baseado no livro homônimo. Será que agora o DiCaprio leva o Oscar? Acho que ele merece.
    Espero poder ver o filme antes da premiação.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento…"
    http://www.leandro-de-lira.blogspot.com

    Resposta
  • 11 de fevereiro de 2016 em 22:21
    Permalink

    Oi Juliana!
    Eu queria ver esse filme mais por ser com o Leo, porque na verdade o enredo não me atraiu…
    Será que dessa vez ele ganha o Oscar? Vamos torcer 😉

    Beijos,
    Sora – Meu Jardim de Livros

    Resposta
  • 18 de fevereiro de 2016 em 08:38
    Permalink

    Fui no cinema ver esse filme sem ter muita certeza do que era. Acho que aquele final poderia ter sido mais prático, mas o que realmente me interessa é ir atrás do livro.
    Ah, e acho que a força de vontade dele tem muito mais a ver com buscar justiça pelo filho dele do que "se vingar de quem o deixou pra morrer". Assim como, apesar da questão de racismo (de diferentes formas) estar presente, acredito que o filme é muito mais sobre a descoberta da força pessoal. E, sim, as imagens são fantásticas e Di Caprio está muito bem.

    Resposta
  • 8 de junho de 2019 em 16:25
    Permalink

    Amei sua resenha, nao estava achando resenhas falando sobre a questão racista e da marcha para o oeste que eu observei durante o filme. Vai me ajudar muito para um trabalho da faculdade.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dorama: Uma Família Inusitada Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino
Dorama: Uma Família Inusitada Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino