Uma Família Feliz [Crítica do Filme]

Uma família feliz apresenta um ótimo suspense mesmo trabalhando com alguns clichês já conhecidos. Dirigido por José Eduardo Belmonte (Entre Idas e Vindas) e roteirizado pelo autor do livro homônimo, Raphael Montes (Bom dia, Verônica), o longa é daqueles que nos intriga do início ao fim.

Maternidade em filmes de suspense já não é novidade, vai desdeo clássico O bebê de Rosemary ao excelente Babadook, entre outros. Na parte literária, o filme também se aproxima de livros como Verity da Colleen Hoover. No entanto, as referências que são ótimas, acabam colocando o filme em alguns clichês que não são contornáveis. Ou seja, o longa não consegue ir muito mais além. Mas isso não quer dizer que a história não nos traga pontos interessantes porque traz. Toda a trama é muito bem desenvolvida e consegue nos deixar angustiados querendo saber o que afinal está acontecendo com a família dos protagonistas.

Grazi Massafera e Reynaldo Gianecchini são Eva e Vicente. No começo do filme ela está grávida do seu primeiro filho biológico e Sara e Angela são gêmeas filhas do primeiro casamento de Vicente. O pequeno grupo realmente parece uma família feliz de comercial de margarina.

É evidente que Eva tem depressão pós-parto e está exausta de cuidar do filho recém nascido, das duas filhas gémeas, da casa e um marido que menospreza suas necessidades, bem como seu emprego. Mas as coisas realmente desmoronam quando as crianças apresentam machucados no corpo. 

É interessante como o filme trabalha muito bem naquilo que não é mostrado, há insinuações em toda parte, em cenas que não são aparentemente nada demais, mas que nos levam a crer que são. E como tem crianças envolvidas, o sentimento de medo, ao menos pra mim, foi maior. Sem contar os bebês reborn, já que Eva trabalha fazendo eles, que são assustadores. O longa foi certeiro no suspense apresentado, na direção, uso de enquadramentos e trilha sonora. Embora com quatro suspeitos não seja tão imprevisível achar o verdadeiro culpado por tudo. 

Além da maternidade, outro ponto interessante é a questão do cancelamento público. Não foi algo abordado muito a fundo, mas extremamente atual. 

Em suma, Uma família feliz não é um filme perfeito, aliás tenho até uma ressalva sobre como tudo foi descoberto, já que desde o início era uma solução plausível. Entretanto, é visível que é uma ótima produção, com elenco de peso e uma boa história de suspense!

FICHA TÉCNICA

Título: Uma família feliz
Direção:  José Eduardo Belmonte
Data de Lançamento: 4 de abril de 2024
Pandora Filmes

Michele Lima

One thought on “Uma Família Feliz [Crítica do Filme]

  • 9 de abril de 2024 em 15:01
    Permalink

    Parece ser um filme que vale a pena assistir. Obrigado pela resenha.

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está no ar cheio de posts novos e novidades! Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!
Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!