Ela Disse [Crítica do Filme]

Os relatos das vítimas do predador sexual Harvey Weinstein seriam suficientes para causar a perturbação necessária que um filme-denúncia precisa. Infelizmente, não foi o bastante para que este She Said se tornasse uma obra a altura de Todos os Homens do Presidente (1976), Spotlight (2015) e O Escândalo (2019). O tom cru e quase documental optado pela atriz e diretora alemã Maria Schrader mostra de maneira quase didática o ofício do jornalismo factual, mas não equilibra muito bem com a dramatização das protagonistas Megan Twohey e Jodi Kantor, jornalistas reais do New York Times interpretadas por Carey Mulligan e Zoe Kazan respectivamente. Carey está ok, mas a escolha de Zoe não foi das mais felizes. Faltou um pouco mais de intensidade de ambas perante a outras atuações cuja entrega é bem maior – Samantha Morton e Jennifer Ehle brilham mesmo em rápidas participações.

A história é baseada no livro escrito pelas duas profissionais cujo ponto de partida foi o movimento Me Too, onde a atriz Rose McGowan trouxe a público os abusos sofridos nas mãos de Weinstein e por consequência o fim de sua carreira. No embalo, a também atriz Ashley Judd aderiu ao movimento e aparece aqui sendo ela mesma. O incômodo fica por conta da oscarizada Gwyneth Paltrow, que não quis ser uma das depoentes – todos nós sabemos que sua estatueta por Shakespeare Apaixonado foi cortesia dele. Um escárnio, sendo ela a mais fraca das concorrentes.


A narrativa tinha tudo para ser eletrizante, mas faltou ousadia tanto no roteiro quanto na direção, que ao nunca mostrar Harvey Weinstein (apenas um take de costas de um dublê) não lhe confere a importância necessária, mesmo sendo peça central da trama. Foi uma escolha discutível, se comparada, por exemplo, à atuação excepcional de John Lithgow em O Escândalo. Até metade das suas duas horas de duração, Ela Disse prende a atenção e pode agradar em cheio aos jornalistas profissionais. Depois se torna aborrecido para o grande público com a constante e repetitiva investigação jornalística. Nem os dramas pessoais das protagonistas têm muito destaque, apenas o suficiente para humanizá-las. O saldo final é satisfatório e merece ser visto, no entanto sua história que cobre por volta de três décadas de abusos, é grande para duas horas de projeção.

O movimento Me Too levou Harvey Weinstein para a cadeia e chacoalhou Hollywood, mas sua versão para o cinema Ela Disse (She Said), infelizmente, não se encontra no mesmo nível.

FICHA TÉCNICA

Título: Ela Disse
Título Original: She Said
Direção: Maria Schrader
Data de Lançamento: 8 de dezembro de 2022
Universal Pictures

Italo Morelli Jr

One thought on “Ela Disse [Crítica do Filme]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!
Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!