Britt-Marie esteve aqui [Resenha Literária]

Fredrik Backman me conquistou com Gente Ansiosa, um livro tão incrível com assuntos tão sensíveis como depressão e suicídio, com um final tão maravilhoso que parti para Britt-Marie esteve aqui, sem nenhum receio e agora eu não sei mais qual livro do autor eu gosto mais. Pelo fato de ter várias analogias com o futebol, a história de Britt-Marie me tocou demais!

Britt-Marie tem 63 anos e claramente não tem muita aptidão social. Ela sai de casa para recomeçar uma nova vida, precisa de emprego e não deixa a moça da agência em paz até que ela consiga um trabalho. E logo nas primeiras páginas percebemos todas as excentricidades da protagonista, maníaca por limpeza, de um sinceridade constrangedora e alguém que se importa muito com o que os outros pensam. Ela fala constantemente de Kent, seu marido (ou ex-marido), mas só depois vamos entender o que aconteceu com ela para sair de casa. 

Britt-Marie é uma mulher sozinha, ela não tem amigos e nem familiares e é com uma enorme coragem que tenta uma nova vida. A moça da agência arruma um emprego no centro de recriação numa cidade chamada Borg. É um lugar minúsculo em que quase tudo está fechado e todo mundo se conhece. O centro de recreação é o lugar onde o time de crianças treina futebol e é assim que a protagonista que nunca teve filhos, mas cuidou dos filhos do marido, começa a ter uma relação incrível com os habitantes do lugar.


Vega e Omar são sem dúvidas o ponto forte das relações de Britt-Marie, a menina agressiva e capitã do time e o menino é capaz de encontrar qualquer coisa para vender. Os dois irmãos acabam tendo uma importância enorme na reta final do livro. Temos Ben, Sapo, e tantos outros que ajudam a protagonista a entender futebol. As analogias com os times ingleses são ótimas. Os torcedores do Liverpool não desistem nunca, os do Tottenham se acostumaram a perder, os do Manchester United se acostumaram a ganhar e quem acompanha a Premier League vai dar muita risada com tudo isso. 

Só que o futebol é só mais um tema interessante na história, é lindo ver Britt-Marie entendendo como esporte muda as pessoas, como as paixões movimentam a vida, a relação delas com as crianças, vendo um jovem ter um date com outro do mesmo sexo, ver pessoas que já haviam desistido da cidade lutarem por ela e como as relações familiares não dependem de relaçoes sanguineos. Britt-Marie muda Borg, mas Borg muda por completo Britt-Marie, que aprende a ser amada e ter a importância que nunca teve antes. E claro, jamais esquecerei da importância de um Bicarbonato de Sódio


Fredrik Backman nos conta uma história de superação com uma protagonista na terceira idade, saindo dos típicos clichês a todo momento, nos dando uma triângulo amoroso bem interessante e a solução dele mais ainda. E mais uma vez temos uma escrita sensível, bonita e emocionante. Britt-Marie esteve aqui me fez chorar no final e o autor entrou na minha lista de preferidos da vida. 

FICHA TÉCNICA

Título: Britt-Marie esteve aqui 
Autor: Fredrik Backman
Editora Rocco
Onde Comprar: Amazon

Michele Lima

One thought on “Britt-Marie esteve aqui [Resenha Literária]

  • 31 de maio de 2022 em 15:35
    Permalink

    Tudo que esse homem escreve é maravilhoso! Amo com ele faz personagens reais e imperfeitos de forma que tu se apega

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.