No Ritmo do Coração [Crítica]

No Ritmo do Coração concorre ao Oscar 2022 e está disponível no Prime Video. Uma trama bem sensível e uma protagonista CODA (children of deaf adults, traduzindo filha de adultos surdos). A sigla é o título original no filme, em português ficou um tanto piegas.

O enredo não é dos mais originais, é bem comum tramas de amadurecimento, mas Ruby (Emilia Jones) tem um carisma enorme. E não deixa de ser interessante a protagonista cantar brilhantemente bem, sua mãe (Marlee Matlin), por exemplo, acredita que isso é condicionado pelo fato de ser adolescente em uma família surda, mas a verdade é que Ruby não faz por puro capricho, ela tem um enorme talento. Seu professor de canto, Bernardo, (Eugenio Derbez) reconhece rapidamente seu potencial, que é bastante afetado pela timidez dela. Ruby é de uma família bastante humilde e acredita que precisa constantemente ajudá-los, já que ela é intérprete deles o tempo todo, assim, querer realizar seus sonhos acaba sendo um conflito para ela. 

Todos os dias Ruby sai para pescar com seu pai Frank (Troy Kotsur) e seu irmão Leo (Daniel Durant), mas cada vez mais pagam menos pelos peixes. E o fato de trabalhar em um pesqueiro é também motivo de receber bullying na escola. 


A dinâmica da família é ótima, Ruby sabe que liga a família ao resto da comunidade e ocupa cargos até constrangedores como ter que ir ao médico dos pais e saber da vida sexual deles. No entanto, é tudo tratado com bastante humor e os pais bem liberais e despojados não entendem tão bem as necessidades da filha. 

O roteiro é baseado no filme francês A Família Bélier (2014) e transita muito bem entre o drama e humor, sem apelações, mas com grande ternura. Os atores surdos (Kotsur, Durant e Matlin) dão um show à parte, várias cenas cheias de emoções, às vezes quase em silêncio, onde os gestos e fisionomias são mais importantes do que tudo. 

Quando penso em filmes como Lady Bird em que o amadurecimento também é um ponto importante, No ritmo do coração com certeza me ganha com muito mais facilidade. É um filme para aquecer corações e a indicação ao Oscar foi bem merecida. 

Trailer

FICHA TÉCNICA

Título: No Ritmo do Coração
Título Original: CODA
Direção: Siân Heder
Data de lançamento no Brasil: 23 de setembro de 2021
Diamond Films
Disponível até o momento: Prime Video

Michele Lima

One thought on “No Ritmo do Coração [Crítica]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.