Licorice Pizza [Crítica do Filme]

Eu gostei tanto de Licorice Pizza que nem vou conseguir explicar do jeito que eu gostaria. A história não tem nada demais e é a coisa mais linda, nonsense que vi nos últimos tempos. Um ator de 15 anos flerta com uma freelancer de quase 30 e ouve um não porque ainda é uma quase criança. Ao longo de mais de duas horas, o filme tenta nos convencer de que nasceram um para o outro e que precisam ficar juntos no final ou o choro e a depressão vem.

A cena do caminhão já entrou pra história da sétima arte e nem Hitchcock faria melhor. Fãs do diretor Paul Thomas Anderson detestaram porque essa pizza de alcaçuz não parece nem com Boogie Nights (1997), nem com Magnólia (1999) e nem com Sangue Negro (2007) – é muito maior e melhor – aqui acontece o amor, acontece tudo e acontece a vida. 

Cooper Hoffman, filho do saudoso Philip Seymour Hoffman e a cantora Alana Haim da banda Haim mereciam o Nobel da Paz. Nunca vi tanta química num casal que aparentemente não tem química nenhuma. 

Alana sem maquiagem, com sua beleza não-convencional, andando de shortinho e saltinho é a coisa mais bonita que se filmou em 2021. O gordinho Gary não resiste e encanta Alana com sua ousadia e ternura ao convidá-la para sair. Há quem diga que já viu esse filme antes nas páginas dos livros da série Vagalume e nos capítulos de Malhação. Tem quem assistiu e achou um lixo, mas segurou o choro quando tocou Life on Mars do tio Bowie. Viu Alana e disse: essa garota não é bonita e ao final da projeção queria casar com ela e adotar o Gary. 


Licorice Pizza é tão poderoso que nem parece feito em Hollywood, a fábrica de patê de lixo. E tem eu, que me joguei nas aventuras dessa dupla fantástica e não queria que o filme acabasse nunca. Quem já trintou ou quarentou (ou no meu caso, quase cinquentando) já foi adolescente, já se apaixonou, já riu e chorou e achou que o tempo não passaria tão rápido como dizem, vai entender que Licorice Pizza é gigante.

Desde As Pontes de Madison (1995) que eu não me emocionava tanto com casal cisgênero, no caso, o já madurão anti-galã Clint Eastwood e Meryl Streep. Mesmo retratando os anos 70 lá nos EUA, a linguagem é totalmente contemporânea. Licorice Pizza, assim como Era uma Vez em Hollywood, é impregnado de sonho e paixão, agradou muitos e desagradou outros tantos, porém não dá pra ficar indiferente: quem esperava por um filme desses, após dois anos de pandemia?

Trailer

FICHA TÉCNICA

Título: Licorice Pizza
Direção: Paul Thomas Anderson
Data de lançamento no Brasil: 17 de fevereiro de 2022
Universal Pictures

Italo Morelli Jr.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.