Miracle Workers – Primeira Temporada [Crítica]

Miracle Workers é uma série de comédia disponível na HBO estrelada por Daniel Radcliffe e Geraldine Viswanathan e conta com nomes como Steve Buscemi e Karan Soni no elenco.

Eliza (Geraldine Viswanathan) é uma funcionária do reino do céu que tem muita vontade de trabalhar, ela fica super animada em ir para o departamento de milagres, mas lá ela encontra Craig (Radcliffe) sozinho resolvendo pequenos pedidos como ajudar alguém a encontrar uma chave. Frustrada com a falta de recursos para ajudar a humanidade, ela tem uma reunião com Deus (Steve Buscemi) que só piora as coisas. Deus, já de saco cheio dos humanos, resolve explodir a terra em sete dias. Ele desiste dos humanos e quem pode julgá-lo, não é mesmo? Para tentar arrumar o que fez, Eliza faz uma aposta com Deus: se ela resolver um milagre a Terra não será explodida. O milagre escolhido é juntar duas pessoas, Sam (Jon Bass) e Laura (Sasha Compère), dois super tímidos que fazem a mesma prece: querem ficar um com o outro.

Craig trabalha há anos no departamento de milagres sem nunca conseguir fazer nada grandioso e logo percebemos que não se pode simplesmente realizar desejos humanos sem consequências, então, medroso como é, ele se conforma em fazer pequenas realizações. Eliza é o oposto de Craig que quer ajudar a todo custo, mas se sente mal quando ajuda na colheita de um homem e provoca problemas climáticos na Terra. Os dois tentam de tudo para unir Sam e Laura e passam por enormes obstáculos, quando, por exemplo, Laura  se sente atraída por um influencer ou quando a avó de Sam está prestes a morrer. Mas eles vão contar com ajuda de  Sanjay Prince (Karan Soni), cansada de ser um anjo executivo assistente de Deus e de Rosie (Lolly Adefope) a secretária do Todo Poderoso.


O fato é que Deus é uma criatura mimada, egocêntrica, sozinha e vingativa. É muito difícil para Sanjay resolver todos os pedidos de Deus. Ao que parece, todos que trabalham com a divindade ficam frustrados. E entender o Deus de Miracle Workers ironicamente nos faz entender demais a humanidade e o caos dela. E é nisso que mora toda a graça da série.

De maneira muito sarcástica a série fala sobre a humanidade e brinca bastante com a bíblia e com coisas do nosso dia a dia. A ambientação do céu é como uma multinacional em que o dono (Deus) perdeu totalmente o controle daquilo que criou. O roteiro é bem criativo nos departamentos e na funcionalidade de cada um, a humanização de anjos e deuses faz com que tudo seja bizarro e muito engraçado.


Daniel se sai muito bem na comédia, um pessoa tímida, medrosa e de bom coração e tem um ótima química com  Geraldine Viswanathan, o romance não caminha entre eles, é sutil demais, mas é bem meigo.

A primeira temporada de Miracle Workers é curtinha, rápida e muito boa, se você embarcar na loucura de Deus vai se divertir. 

Michele Lima

2 thoughts on “Miracle Workers – Primeira Temporada [Crítica]

  • 7 de fevereiro de 2022 em 17:16
    Permalink

    Olá, Michele.
    Eu ainda acho esquisito ver o Daniel em outo papel hehe. Na minha cabeça ele sempre vai ser o Harry hehe. Mas achei a premissa dessa série muito interessante e vou deixar anotada para assistir futuramente.

    Prefácio

    Resposta
  • 7 de fevereiro de 2022 em 22:01
    Permalink

    Ooi
    Eu gostei da premissa dessa série. Não reparei nela no catalogo da HBO Max, mas vou dar uma procurada para ver um episódio. Adoro uma série com comédia e esse elenco é muito bom.

    Silviane • kzmirobooks.com

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.