Metamorfose [Resenha Literária]

Muita gente tem medo de clássicos, mas acho que são desafiadores e livros como Metamorfose é pra levar pra vida. Lançado em 1915 já adianto que a linguagem moderna de Kafka não faz o leitor ficar travado diante de uma barata, muito menos de sua narrativa. 

Gregor Samsa trabalha incansavelmente para ajudar a família, é caixeiro viajante e não sabe o que significa folga e pela descrição da sua rotina de vida também não sabe o que é ser verdadeiramente feliz há muito tempo. É bem claro que a vida do protagonista é entediante, cansativa, o que leva à melancolia. Um dia, depois de despertar de sonhos intranquilos, Gregor percebe que tem algo diferente do seu corpo e muita dificuldade de levantar da cama. Ele está atrasado, o que não é comum para ele, seus pais batem na porta para avisá-lo, mas ele continua com dificuldade em sair da cama. Até seu chefe percebendo o atraso vai até a casa de Gregor cobrar satisfações, mas o protagonista não sai do quarto, ele virou um monstro, um inseto, um horror para sua família. Apenas sua irmã consegue compreendê-lo e tenta ajudá-lo dando comida diariamente e limpando seu quarto, mas ela também tem verdadeira aversão pela atual forma do irmão. 


A família de Gregor fica em choque com o que acontece com ele, o isola no quarto e tenta lidar com as atuais circunstâncias em que não pode contar com o salário dele. Sua mãe tenta ver o filho, mas desmaia ao ver sua figura, sua irmã aos poucos começa a negligenciá-lo e seu pai chega a ter uma acesso de raiva que quase mata Gregor. Se antes a vida dele era ruim, fica realmente pior.

O incrível da obra de Franz Kafka são as diversas interpretações para a metamorfose do protagonista. Depressão é talvez a mais palpável porque Gregor já não era feliz e se afunda em uma absurda melancolia, desprezado pela família que em certo momento até o aceita, desde que que ele fique escondido do resto do mundo. Isolado, solitário e debilitado, Gregor se afunda cada vez mais na tristeza, o que faz com que o leitor pense também em como a sociedade trata a velhice, o quanto adultos, jovens e ativos são importantes porque geram benefícios e quando idosos são deixados de lado. Além disso, podemos pensar na busca incessante pelo dinheiro, a necessidade de agradar os demais, a hierarquia no capitalismo, entre outros pontos. 

A parte da família (que de certa forma também passa por uma metamorfose) é um ponto bem interessante, Gregor deixa de ser o filho que traz comida pra casa para ser alguém que não tem muita importância para eles, alguém que eles sentem vergonha, asquerosos, sem utilidade, além de absolutamente fora de qualquer padrão.


Em um texto tão curto e de rápida leitura, são várias as possibilidades para a metamorfose de Gregor e acho que a cada momento da vida talvez eu perceba uma metáfora diferente nessa  extraordinária história. Vale destacar a edição da Faro Editorial  (que veio baratas de plástico de brinde) que contém uma pequena introdução do cineasta David Cronenberg.

E cuidado na próxima vez que matar um inseto, nunca se sabe quem de fato pode ser…

FICHA TÉCNICA

Título: A Metamorfose
Autor: Franz Kafka
Faro Editorial
Onde Comprar: Amazon

Michele Lima

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.