Belle [Crítica do Filme]

Eu gosto de conto de fadas, mas já me cansei um pouco de tanto que falam de A Bela e A Fera, mas fui positivamente surpreendida com Belle do diretor Mamoru Hosoda, o que não deveria ter sido uma surpresa já que é ele responsável por obras como Summer Wars, Toki wo Kakeru Shoujo (A garota que conquistou o tempo), Ōkami Kodomo no Ame to Yuki (Crianças Lobo), entre outras.

Suzu é uma jovem garota que perdeu a mãe quando criança e cresce como uma pessoa tímida, melancólica, mas juntamente com sua amiga resolve entrar em U, um mundo virtual em que o avatar tem grandes conexões com o corpo da pessoa. Neste universo, Suzu vira Belle uma mulher com cabelo cor de rosa e que canta incrivelmente bem. Em pouco tempo ela é um sucesso e um grande contraste com a protagonista na vida real. Um dia em um dos seus shows, Belle conhece a Fera, um monstro na figura de um dragão perseguido pelos Justiceiros em U por brigar até cair o sistema. Ninguém sabe a verdadeira identidade da Fera, mas Belle se conecta bem com ele.


Ao longo do filme vamos acompanhar Suzu investigando a identidade da Fera e o que existe por trás de todo o seu sofrimento, a revelação foi bem diferente do que eu imaginava. Também vemos Suzu vivendo dilemas adolescentes, como retomar uma antiga amizade, ter uma paixão secreta, entre outras coisas.

Agora, por que uma trama tão simples é tão tocante? Pela sensibilidade com que Mamoru Hosoda aborda temas como melancolia, maustratos infantis e o amor na adolescência. É tudo muito sensível, delicado como a cena em que a amiga da protagonista se declara para o garoto que ela gosta, é engraçado e bonito ao mesmo tempo. E Suzu usa o mundo virtual pra ser quem ela gostaria de ser, mas não consegue na vida real por medo e vergonha, o avatar é um máscara cheia de conveniência, é por trás da tela do computador que as pessoas mostram seus preconceitos, ódios, mas às vezes também talento, como no caso da Suzu. A cena final de Belle cantando onde é preciso mostrar toda a veracidade dos seus sentimentos é de encher os olhos de lágrimas de tão linda que é.


Além da história tocante, toda a ambientação do universo em U chama a atenção, o castelo da Fera, os locais dos shows de Belle, os avatares em oposição a cidade em que Suzu mora, um ambiente com mais natureza e menos poluído. 

Belle é um filme que me fez ver como algumas das recentes animações da Disney são medianas e por vezes superficiais, mas por não ser hollywoodiano talvez receba, injustamente, menos atenção. 

Trailer

FICHA TÉCNICA

Título: Belle
Título Original: Ryû to sobakasu no hime
Direção: Mamoru Hosoda
Data de lançamento: 27 de janeiro de 2022
Paris Filmes

Michele Lima

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.