Trilogia da Fundação – Segunda Fundação [Resenha Literária]

Esta foi uma conclusão fabulosa para a trilogia original!
No primeiro livro, vemos a ascensão da Fundação – o cerne da civilização em torno do qual o Segundo Império Galáctico acabará por surgir após a queda do Primeiro Império… uma fundação estabelecida precisamente por esse motivo pelo inestimável Hari Seldon, que – através de sua matemática – pode prever o futuro.
No segundo livro, vemos o Plano de Seldon destruído pela ascensão inesperada de um conquistador com poderes mentais mutantes (o “Mulo”) – algo que a matemática de Seldon não podia prever nem explicar. 
Neste livro, estamos a cerca de 500 anos no único milênio que o Plano de Seldon prevê antes que a Fundação estabeleça o Segundo Império Galáctico. O problema? A Segunda Fundação, cujo propósito é proteger e continuar o Plano de Seldon, não é mais secreta. Tanto o Mulo quer encontrar a Segunda Fundação e eliminá-la e a Fundação (a Primeira) não gosta da ideia de ser manipulada por alguma força secreta externa e, portanto, também quer encontrar a Segunda Fundação e eliminar por motivos próprios.
A primeira metade deste livro é sobre a busca do Mulo pela Segunda Fundação, que gira em torno de milhares de intrigas envolvendo o controle da mente. O Mulo é uma criatura tão fascinante e enigmática, que é impossível não querer entender tudo o que existe além dele.
A segunda metade deste livro é sobre a busca da Segunda Fundação pela Primeira. Eu gostei muito porque a heroína é Arcádia Darell, uma garota de 14 anos que tem toda a coragem, inteligência e neurose /romance adolescente que você poderia querer em uma protagonista. 

Para nós, toda a vida é uma série de acidentes a ser enfrentada com improvisações.

E o final … bem, o final é simplesmente sublime!
Eu recomendo altamente esta série inteira para os amantes da ficção científica clássica. O que eu amei neste livro em particular, e uma coisa que é evidente mais ou menos em todos os livros de Asimov, é que, a solução de seu enredo é tão estratificada que o leitor se perde em suas dobras intermináveis. A Segunda Fundação compreende mais de um episódio como seus dois predecessores, dois no caso em questão, e em cada um deles, na metade da história, o narrador começa a nos oferecer explicações diferentes, de preferência pela perspectiva de um dos personagens, e isso contribui com sucesso para criar uma escalada de tensão que magistralmente resolve a obtenção da última solução, necessariamente a correta. É um esquema extremamente simples e, no entanto, infalível – pelo menos em mãos tão capazes quanto as de Asimov.
Para eles, toda vida tem um propósito e deve ser enfrentada com cálculos antecipados.
Bom, é isso. O livro lançado recentemente pela Editora Aleph tem um total de 880 páginas e reúne os três primeiros livros da Fundação, e me apaixonei completamente por essa coleção. Agora quero conferir a continuação dessa história com os livros que foram publicados cerca de 30 anos depois da trilogia original ser lançada, e mal posso esperar pra ver qual rumo tomou essa história! 
FICHA TÉCNICA
Título: Trilogia da Fundação – Segunda Fundação 
Autor: Isaac Asimov
Nota: 4/5
Onde Comprar: Amazon
 

Natália Silva

7 thoughts on “Trilogia da Fundação – Segunda Fundação [Resenha Literária]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dorama: Uma Família Inusitada Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino
Dorama: Uma Família Inusitada Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino