Do Fundo da Estante: Apocalypse Now

O horror…o horror…

Eu o reputo como o maior e melhor filme de guerra feito já feito. Nessa ópera-rock do tio Coppola, tem Rolling Stones e The Doors na trilha sonora e um impressionante Marlon Brando de cabeça raspada que quase rouba o filme pra si.

Baseado no livro O Coração das Trevas (1902) de Joseph Conrad, Apocalypse Now (assim mesmo no original) conta a saga do capitão Benjamin Willard (Martin Sheen) que tem a missão de encontrar e matar o coronel Kurtz (Marlon Brando), que enlouqueceu e se refugiou nas selvas do Camboja, onde comanda um verdadeiro exército de fanáticos em plena guerra do Vietnã.

Um exemplo do que pode ter sido o horror e loucura dessa guerra está aqui. Sem a preocupação do politicamente correto, o diretor Francis Ford Coppola fez um filme grandioso em todos os sentidos, feio e belo, apoteótico, dramático como poucos conseguem ser sem parecerem forçados.

Como se não bastasse os dois O Poderoso Chefão no curriculum, Coppola cometeu mais este clássico, cuja forma e conteúdo jamais ficarão datados e até hoje não foi atualizado/superado por nenhum outro filme do gênero – não à toa venceu a Palma de Ouro no Festival de Cannes.

Com muitas histórias de bastidores e uma versão deluxe com mais de 3 horas, Apocalypse Now é visto como entediante pela geração Tik Tok que repudia qualquer entretenimento com mais de 15 segundos de duração. Um mergulho desses na psique humana só podia ter esta dimensão, uma impressionante fotografia (vencedora do Oscar) e parte técnica irrepreensível, cujos efeitos práticos dão mais realismo do que qualquer CGI usado nos atuais filmes de herói.

Por mais que o protagonista do Martin Sheen e o sempre incrível Robert Duvall coadjuvando brilhem em cena, nada se compara a figura decadente e assustadora de Marlon Brando. Aos 55 anos e longe da figura de galã que o consagrou, sua composição do coronel Kurtz é impecável. A antológica frase “the horror…the horror…” dita aos sussurros, é a perfeita síntese de uma guerra, seja ela qual for.

Os EUA nunca se recuperaram desta derrota e de tantas vidas perdidas, e nem o cinema conseguiu um retrato desses eventos assim tão próximo da realidade. Os ótimos Platoon (1986) e Nascido em 4 de Julho (1989) do diretor Oliver Stone, complementam bem a experiência, assim como Nascido para Matar (1987) de Stanley Kubrick.

Obra-prima indiscutível.

FICHA TÉCNICA

Título:  Apocalypse Now
Direção: : Francis Ford Coppola
Data de lançamento: 26 de outubro de 1979

Italo Morelli Jr.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+
Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+