Boogeyman: Seu Medo é Real [Crítica]

Mais um filme de terror baseado num conto de Stephen King, no caso O Bicho Papão, parte integrante do livro Sombras da Noite, de 1978. Aliás, a grande diferença entre o conto e o filme é que mudam os protagonistas! Enquanto no livro temos um pai atormentado pela morte dos três filhos contando a sua história para um psicólogo, no filme a tal entidade começa a assombrar a família do psicólogo depois que ele escuta a história do paciente.

Se não chega ao nível de Carrie (1976) e O Iluminado (1980), também não é ruim, mas cai na vala comum das atuais produções: orçamento alto que embeleza demais um produto cujo charme seria um tratamento ok, sem fazê-lo parecer maior do que é. Não precisa ser o baixo clero do Cine Trash e nem ficar com cara da dona Valdisney – equilíbrio é tudo.

Sadie (Sophie Tatcher) uma jovem de 16 anos e sua irmã mais nova Sawyer (Vivien Lyra Blair) ainda em luto pela morte da mãe, são alvo de uma criatura sobrenatural depois que o pai de ambas, o psicólogo Will (Chris Messina) atende em casa Lester (David Dastmalchian) um paciente em pleno surto. Assim que ele termina o seu sofrido relato sobre a morte dos filhos e se vai, uma criatura sobrenatural que se alimenta do sofrimento humano e se manifesta e se fortalece a cada dia com o luto da família.


O diretor Rob Savage (Cuidado com quem Chama, de 2020) se esforçou bastante para entregar um produto final diferenciado, mostrando que sabe usar bem o batido recurso do jumpscare e dos takes com quase nada de iluminação, o que o ajuda a criar o clima de suspense/terror de maneira elegante. O escritor Stephen King declarou que de tão assustador, o filme já finalizado teve que ser remontado após uma exibição teste que aterrorizou a platéia. Fic ridícula, a criatura nem é tão assustadora assim.

O roteiro foi feito pelo trio Scott Beck e Bryan Woods (Um Lugar Silencioso) e Mark Heyman (Cisne Negro) e estica bem o conto, mas não deixa cansativa a minutagem de mais de uma hora e meia. Se bem que algumas passagens, como os personagens colegas de escola das meninas, poderiam muito bem ter ficado de fora.

No mais, Boogeyman, que seria lançado direto no streaming, mas ganhou uma chance nas telonas, cumpre o que promete. Não é memorável como o recente A Morte do Demônio: A Ascensão (Evil Dead Rises) ou os ótimos Noites Brutais e A Corrente do Mal, mas é superior a Sorria, Amizade Maldita e o péssimo Slender Man.

Indicado para os fãs do Stephen King.

FICHA TÉCNICA

Título: Boogeyman: Seu Medo é Real
Título Original: The Boogeyman
Direção: Rob Savage
Data de lançamento: 1 de junho de 2023
20th Century Studios

Italo Morelli Jr

One thought on “Boogeyman: Seu Medo é Real [Crítica]

  • 6 de junho de 2023 em 08:49
    Permalink

    Parece ser aterrorizante. Adorei a resenha. Antigamente era viciado em filmes de terror. Hoje, nem tanto.

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está no ar com muitos posts e novidades! Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+
Crítica: A Esposa do meu marido Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+