Demon Slayer – 2ª Temporada [Crítica]

A segunda temporada de Demon Slayer (Kimetsu no Yaiba), disponível no Crunchyroll, começa exatamente depois do filme Movie Train, então quem não assistiu precisa assistir. Tanjiro, Zenitsu e Inosuke estão se recuperando das fortes perdas da última batalha, tanto no aspecto físico quanto emocional. Tanjiro vai visitar a família de Kyoujurou Rengoku em uma das cenas mais tristes da temporada. 

Tengen Uzui aparece querendo recrutar as meninas que estão cuidando dos protagonistas em uma missão no “distrito do entretenimento”, onde mulheres vendem seus corpos para os homens de todas as noites. Obviamente que Tanjiro, Zenitsu e Inosuke não deixam que elas sejam levadas e se oferecem para ficar no lugar. Para isso, eles precisam se vestir de mulher e conseguem cada um trabalhar em um lugar diferente, exatamente onde as esposas de Uzui trabalhavam infiltradas, mas que de repente pararam de mandar mensagens para eles. Embora com muita sutileza a questão da prostituição está presente neste arco até mesmo no final quando entendemos a história dos irmãos demônios. Não é nada escancarado, mas está lá. 

Em pouco tempo os meninos percebem que algo está muito estranho nos lugares, detectam a presença de um ser poderoso e de fato, eles estão diante de demônio superior. E é somente este, o número 6, o vilão da temporada, o que faz com que os primeiros episódios não tenham tanto ação, mas investigação e episódios finais repletos de lutas insanas. É uma temporada mais curta, focada em apenas uma história, isso faz com que seja mais densa, com poucos alívios cômicos, ao contrário da primeira em que se tinha pausas entre um arco e outro.


O anime ainda consegue nos mostrar um pouco da história de Tengen Uzui e suas esposas, o que o move a matar demônios e o motivo para ter três mulheres. Destaque para Nezuko que aparece em um momento crucial mostrando uma forma demoníaca incrível. E claro, Zenitsu segue lutando bem dormindo!

Embora tenha gostado mais da primeira temporada, a segunda segue com o mesmo padrão de qualidade. Os ambientes noturnos são predominantes e luzes dos golpes na noite causam um efeito brilhante em tela. É absurda a qualidade técnica dessa animação.

Todos os três meninos mostram uma boa evolução, principalmente Tanjiro e o anime também começa a nos dar um pouco mais de pistas sobre sua família, ainda que muito pouco. Demon Slayer tem muito a mostrar e termina com um bom gancho pra próxima temporada. Duro é esperar…

Michele Lima

One thought on “Demon Slayer – 2ª Temporada [Crítica]

  • 17 de julho de 2022 em 11:43
    Permalink

    OI Mi! Apesar de ser muito fã de animes e conferir quase todas as estreias do ano, esse aqui nunca me fisgou. Vejo todo o hype ao redor da história e como faz sucesso pelo mundo, mas Kimetsu não é para mim. Destes novos muito elogiados, meu amorzinho é Jujutsu Kaisen.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.