Belfast [Crítica do Filme]

Mirou no Amarcord e acertou em Jojo Rabbit!

Belfast é livremente inspirado na infância do próprio diretor Kenneth Branagh tendo como pano de fundo os eventos verídicos entre católicos e protestantes em meados de 1968 em Belfast na Irlanda do Norte, um período muito conturbado conhecido como The Trouble. 

Buddy (Jude Hill) é um garoto feliz e muito sonhador que adora cinema e a companhia dos avós paternos, interpretados pelos veteranos Ciáran Hinds e Judi Dench. Ele não tem noção do perigo que o cerca, das dificuldades do pai (Jamie Dornan) que trabalha longe de casa e do sofrimento da mãe (Caitriona Balfe) com a falta de dinheiro – tudo pra ele é diversão. E com esse clima de tensão e ternura, fotografia em p&b e ótima trilha sonora que Belfast tenta ser o Amarcord de Kenneth Branagh. Não consegue o mesmo resultado que o mexicano Alfonso Cuarón no estupendo Roma (2018), mas não faz feio. O resultado final é mais próximo de Jojo Rabbit (2019), onde o protagonista também é um menino.


A montagem por vezes desconexa, interrompe a ação para que uma canção complemente a cena. Os enquadramentos de câmera fogem do óbvio e a escolha do p&b foi muito acertada pois contribui com o clima de fábula. No elenco, todos se destacam. O jovem Jude Hill é uma revelação e tanto, interpretando Buddy com muita autenticidade. Jamie Dornan (da trilogia 50 Tons) foge do estereótipo de galã e entrega uma atuação firme, assim como a talentosa Caitriona Balfe (Outlander), responsável pela carga emocional da trama. Os avós, como não poderia deixar de ser, são figuras marcantes, graças às atuações precisas de Ciarán Hinds e Judi Dench

Kenneth Branagh é outro injustiçado no Oscar, já concorreu como diretor, ator, ator coadjuvante, roteirista e até com um curta-metragem, sem vitórias. Depois de uma fase shakespeariana dirigindo e atuando em Henrique V (1989), Muito barulho por Nada (1993) e Hamlet (1996), ele quis ser Hitchcock com Voltar a Morrer (1991), Robert Altman com Para o resto de nossas Vidas (1992) e fez até um remake de Frankenstein em 1994. Deu uma escorregada com Thor (2011) e Cinderela (2015) e seguiu adaptando obras da escritora Agatha Christie sem muito sucesso. Belfast é o seu melhor filme desde os anos 90 e merece o bom acolhimento, as críticas positivas e os prêmios que vem recebendo.

Trailer

FICHA TÉCNICA

Título: Belfast
Direção: Kenneth Branagh
Data de lançamento: 10 de março de 2022
Universal Pictures
Nota 7/10

Italo Morelli Jr.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.