Amar é Relativo [Resenha Literária]

Nada como embarcar na escrita de Sophie Kinsella, eu sempre acabo me envolvendo em qualquer história criada por essa mulher e com Amar é relativo não foi diferente!

Ava é a protagonista típica da autora, um tanto desligada, divertida e apaixonante! Ela tem três amigas muito próximas, um cachorro que é a vida dela, vários projetos inacabados e no momento ela tenta escrever um livro sem sucesso. E por isso ela vai para um retiro de escrita criativa e por um problema no lugar alunos do curso de artes marciais entram na sua turma, assim ela conhece o Holandês (já que ninguém usa o nome verdadeiro). Ava e Holandês tem uma paixão quase instantânea e bem intensa. E quando acaba o retiro eles tentam continuar juntos, mas levam um choque de realidade.

Aos poucos as promessas feitas no início se mostram bem difíceis, começando pela identidade deles. Ava descobre que seu Holandês é o herdeiro de uma família muito rica, dona de uma linha de bonecas bem conhecida e a rotina dele é muito diferente da dela. E Matt vai percebendo aos poucos que Ava é um tanto desorganizada, acha que pode “salvar”  todos os objetos do mundo, não tem moral com seu próprio cachorro e não tem disciplina para seguir nenhuma carreira profissional, ou seja, os dois são opostos. Mas eles tentam bravamente continuar juntos porque se gostam, apesar das diferenças.

É interessante que Ava chama seu mundo de Avalândia e o de Matt de Mattlandia e lidar com o universo do outro é bem difícil. Para complicar as coisas, a família de Matt não gosta de Ava, prefere a ex-namorada dele e torna a vida da protagonista um pouco mais difícil. E além dos protagonistas, Kinsella dá um bom espaço para os coadjuvantes, principalmente as amigas de Ava, como Nell que tem uma grave doença. Sem contar o Harold que é um cachorro maravilhoso e é um dos personagens principais dessa história.

É fácil notar que tudo acontece muito rápido com os protagonistas, atrapalhando um pouco o desenvolvimento do casal, mas não tira o encanto da narrativa, dei boas risadas em vários momentos e consegui identificar a dificuldade de se relacionar com pessoas diferentes de nós. E afinal, todo relacionamento exige paciência, trabalho e perseverança.

Amar é relativo é uma história fácil, rápida, leve, divertida e bastante romântica!

FICHA TÉCNICA

Título: Amar é relativo
Autora: Sophie Kinsella
Grupo Editorial Record / Editora Record
Onde Comprar: Amazon

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.