A Fita Cassete [Crítica do Filme]

Uma viagem maravilhosa para a virada do milênio e ao rock! Completamente nostálgico, A fita cassete agrada pela simplicidade, trilha sonora, ambientação e carisma dos personagens.
Beverly (Gemma Brooke Allen) é uma jovem saindo da infância e entrando na adolescência, sempre muito curiosa com seus pais falecidos, mas sua avó (Julie Bowen) não dá muitas informações, até que ela encontra uma fita cassete antiga e embarca numa jornada onde precisa reconhecer a músicas listadas. Deslocada na escola e sofrendo bullying de um colega cadeirante, Beverly faz amizade com Ellen (Audrey Hsieh) que mora perto de sua casa e da arredia Nick (Olga Petsa), bem roqueira e superficialmente agressiva. As três juntas são ótimas, diferentes e perspicazes!
Beverly conhece Anti (Nick Thune), o dono de uma loja de discos (talvez os jovens nunca tenham visto um pessoalmente) e muito contra sua vontade o homem ajuda as adolescentes, como, por exemplo, levá-las a um show. É uma relação bem engraçada das meninas com Anti que contém até ameaças delas dizendo para qualquer cliente da loja que o lugar vende Britney Spears, o que deixa Anti desesperado. Mais forte ainda é a relação de Beverly com sua avó, que claramente ainda sofre com o luto e está disposta a fazer com a neta tudo o contrário do que fez com a filha, que morreu em um acidente. A mãe de Beverly tinha liberdade para fazer tatuagem, pintar o cabelo e ter um visual punk rock, já a protagonista encontra uma avó relutante e querendo uma neta nerd e tranquila.
Mais do que entender os pais, Beverly também precisa entender a avó e nesse processo encontra ótimas amigas e a confiança necessária até para enfrentar situações constrangedoras na escola. E quem viveu meados dos anos 2000 vai encontrar muita nostalgia no filme, como a loucura do bug do milênio, a morte dos discos e fitas e a dificuldade de encontrar músicas na internet, tempos difíceis pra ter informação. E destaque para as atrizes mirins que funcionam muito bem juntas, Julie Bowen que sempre me faz ter saudades de Modern Family e Nick Thune como ranzinza Anti.
A fita cassete é um filme adolescente divertido e inteligente. A diretora Valerie Weiss acerta o dinamismo e também em nos envolver num drama leve e cheio de personalidade com músicas rock!
Trailer
FICHA TÉCNICA
Título: A Fita Cassete
Título original: MixTape
Direção: Valerie Weiss
Data de lançamento: 3 de dezembro de 2021

2 thoughts on “A Fita Cassete [Crítica do Filme]

  • 8 de dezembro de 2021 em 16:15
    Permalink

    Oie! Eu nunca tinha ouvido falar do filme mas me interessei muito. Na época da virada do milênio eu só tinha 3 anos, mas consegui pegar a ruína das fitas cassetes, que literalmente me fez chorar horrores porque eu era viciada em filmes assim kkkk com certeza é um filme que vou dar uma conferida!
    Beijo
    https://capitulotreze.com.br/

    Resposta
  • 15 de dezembro de 2021 em 12:11
    Permalink

    Olá, Michele.
    Eu lembro do terror que era colocar os discos para tocar e o medo de riscar hehe. E quantas fitas eu estraguei apertando o rec em vez do play hehe. Achei super legal a premissa do filme e se der vou assistir.

    Prefácio

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!
Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!