Sintonizados no Amor [Crítica do Filme]

Confesso que não estava dando nada para Sintonizados no amor disponível na Netflix, mas encontrei uma comédia romântica pós natal, mas com cara natalina, boa de assistir. 
Maggie (Natalie Hall) e Jack (Evan Williams) são amigos de infância e trabalham juntos num programa de rádio dando conselhos sobre a vida amorosa e contando um pouco a deles também! Os dois têm certa dificuldade de apresentar seus respectivos companheiros para a família, o que faz com que eles tenham problemas no namoro. No entanto, a vida profissional dá uma guinada e o programa de rádio ganha visibilidade nacional, para ganhar mais audiência eles precisam durante a festa de ano novo levar seus pares e apresentar aos familiares. O único problema é que eles ficam solteiros, justamente quando a oportunidade acontece. 
Para manter a proposta eles têm a brilhante ideia de fingir que estão namorando! A família ama a novidade porque sempre acharam que os dois eram perfeitos um para o outro, a chefe também fica super feliz com a novidade, mas os dois vão percebendo que não é tão simples manter a farsa, ainda mais quando de fato existem sentimentos envolvidos.
O namorado de Maggie no começo do filme logo percebe que a relação da protagonista com seu amigo vai muito além e ela até resiste um pouco sobre isso, mas é a primeira a admitir que sempre amou Jack. Já o personagem é daqueles bem desligados, superficiais e que nunca percebeu que sempre teve sua alma gêmea bem ao lado. As família são coadjuvantes ótimos, principalmente o pai de Maggie e nos ajuda a perceber que todo mundo sempre torceu para o casal ser mais do que amigos.
Com uma premissa bem simples e óbvia, o longa conquista pelo carisma dos personagens e pelo fato de não ser pretensioso. Não é uma trama complexa, mas o casal conquista, agrada e nos envolve, seja pela amizade tão boa que existe entre entres, como pela questão profissional, são dois excelentes radialistas que não querem perder a grande chance que aparece para eles. 
Sintonizados no Amor tem uma atmosfera de anos 90, agrada e cumpre com a proposta de apresentar um bom romance. Um filme “confort” para os amantes do gênero.
FICHA TÉCNICA
Título: Sintonizado no Amor
Título Original: Midnight at the Magnolia
Direção: Max McGuire
Data de lançamento: 5 de novembro de 2020
Netflix

Michele Lima

6 thoughts on “Sintonizados no Amor [Crítica do Filme]

  • 1 de janeiro de 2021 em 00:39
    Permalink

    Oi
    Gosto desses filmes fofinhos para descontrair, vou assistir!
    Aproveitando para desejar um feliz 2021, que esse ano novo venha repleto de saúde, positividade, esperança e muita energia boa.
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa | Instagram | Facebook | Twitter

    Resposta
  • 1 de janeiro de 2021 em 02:17
    Permalink

    Gosto dessa vibe anos 1990. Acho uma delícia assistir filmes assim para relaxar. Já havia visto esse mas ainda não assisti.

    Feliz ano novo!!
    Abraço

    Imersão Literária

    Resposta
  • 1 de janeiro de 2021 em 17:42
    Permalink

    Oi Mi! Esse tipo de filme eu nunca dispenso, adoro me jogar no sofá e me deixar levar por esse romances de sonhos. Feliz 2021! Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    Resposta
  • 1 de janeiro de 2021 em 23:03
    Permalink

    Ei Michele, tudo jóia? Eu adoro esses filmes que deixam a gente felizinho, a Netflix tem muitos filmes do gênero no catálogo, mas normalmente eles são agradáveis. E eu vou começar um manifesto, pois eu quero mocinhos sentimentais e dispostos a amar e abrir o coração kkk. Beijo!

    Books House

    Resposta
  • 26 de junho de 2021 em 22:41
    Permalink

    Gosto da proposta do filme, mas achei o roteiro fraco e as interpretações inexpressivas, então acabei me decepcionando um pouco.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!
Dorama: Diva à Deriva Dorama: Nosso Destino 5 doramas dublados no Star+ Saiba tudo sobre A Noite das Bruxas!