Jovens Bruxas – Nova Irmandade [Resenha do Filme]


Jovens Bruxas foi um dos filmes com magia que mais me marcaram, foi por causa do longa que me empolguei pra ver Charmed depois. O filme de 1996 foi bastante ousado na época pelos temas, aborda racismo, mostrou um pouco mais sobre wicca, abusos domésticos, entre outros, com um elenco jovem e cativante. O novo é menos impactante do que o primeiro, ainda que tenha me agradado.
Lily (Cailee Spaeny) se muda para a casa do namorado da mãe e passa a viver com ele e seus três filhos. Na escola as coisas não são fáceis, ainda mais quando passa por uma incrível vergonha, talvez um dos grandes medos de todo garota. No entanto, diante da situação ela encontra três amigas que dão todo suporte a ela. Em pouco tempo descobrimos que Lily era o membro que faltava para ativar de vez os poderes de Lourdes (Zoey Luna). Frankie (Gideon Adlon) e Tabby (Lovie Simone). 
O quarteto vai descobrindo que são meninas realmente poderosas que o vínculo entre elas é bem forte, mas Lily acaba passando dos limites o que afeta a amizade delas. Além disso, fica óbvio que Adam (David Duchovny) é um homem estranho, controlador com os filhos e que algo de errado existe na família.
O roteiro de Zoe Lister-Jones tem semelhanças com o primeiro, mas não consegue ousar tanto. Se no primeiro longa todas as protagonistas passam de certa forma do ponto com a magia, dando certa complexidade para as personagens, neste a trama gira em torno apenas de Lily. Acredito que o único momento que a trama consegue ser um pouco mais profunda é com o personagem Timmy (Nicholas Galitzine).
O elenco é bom e a amizade apesar de rápida é bem convincente, o ritmo do filme também ajuda bastante. No entanto, falta atrevimento no roteiro, fica tudo muito “bonitinho” e “certinho” nas personagens, poderiam ter explorado melhor cada uma delas, desenvolvido com mais profundidade, ter inclusive uma estética mais interessante. Entretanto, vale destacar a última cena que foi inesperada e acaba sendo bem reveladora. 
De modo geral Jovens Bruxas – Nova Irmandade é um filme previsível, agradável, com bons temas.
Trailer:
FICHA TÉCNICA
Título: Jovens Bruxas – Nova Irmandade
Título Original: The Craft: Legacy
Direção: Zoe Lister-Jones
Data de Lançamento no Brasil: 05 de novembro
Michele Lima

5 thoughts on “Jovens Bruxas – Nova Irmandade [Resenha do Filme]

  • 4 de novembro de 2020 em 14:46
    Permalink

    Não lembro bem de ter assistido esse filme e tenho zero vontades de ver esse remake também kkkkkkk
    Beijos
    Balaio de Babados

    Resposta
  • 4 de novembro de 2020 em 14:56
    Permalink

    Oi, Mi! Tudo bom?
    Eu sou FISSURADA no original, é um dos meus filmes de bruxas favoritos. Quando vi esse remake fiquei animada pra ver uma abordagem mais moderna da história, mas que pena que não inova e nem é tão impactante quanto o primeiro.
    Ainda vou assistir porque tem bruxas eu tô querendo, mas né.

    Beijos, Nizz.
    http://www.queriaestarlendo.com.br

    Resposta
  • 4 de novembro de 2020 em 18:54
    Permalink

    Não lembro se vi esse filme, mas preciso ver/rever. Filmes nessa temática são ótimos e os mais antigos são meus favoritos.

    Abraço

    Imersão Literária

    Resposta
  • 6 de novembro de 2020 em 15:24
    Permalink

    A atriz Cailee Spaeny é talentosa, ainda vamos ouvir falar muito dela.
    Já o filme de 1996 é um clássico perto deste.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.