Do Fundo da Estante: Karatê Kid – A hora da verdade [Nostalgia]

O jovem Daniel Larusso ou Daniel San (Ralph Macchio) e sua mãe (Randee Heller) recentemente se mudaram de Newark, Nova Jersey para a região do Vale de São Fernando no sul da Califórnia. Porém, Daniel não consegue se ambientar em sua nova morada, até que conhece Ali Mills (Elisabeth Shue) uma atraente garota.
A situação de Daniel se complica quando o ex-namorado de Ali, Johnny Lawrence (William Zabka) e seus amigos começam a atormentá-lo. Um dia, quando é cercado pelos amigos de Johnny, ele é salvo pelo senhor Miyagi (Pat Morita), um velho mestre de karatê. Disposto a ajudar Daniel, Miyagi resolve passar-lhe os ensinamentos de sua arte marcial.
As lições do senhor Miyagi são antológicas, como pintar uma cerca inteira por dentro e por fora com intuito de adquirir disciplina e precisão, numa das parcerias mais queridas dos anos 80. Ralph fez questão de ficar com o carro que encerou em uma das cenas.
Nessa história de dedicação e superação, paixão, bullying e amizade, a relação aluno e professor emociona com sua simplicidade e sinceridade, dosando muito bem o romance, as cenas de luta e até um certo suspense. Destaque também para a inesquecível música tema Glory of Love de Peter Cetera, ex vocalista e baixista do Chicago. É um belo tema que inexplicavelmente ficou fora do Oscar
“Eu sou um homem que lutará pela sua honra
Eu serei o herói com quem você tem sonhado
Viveremos para sempre juntos sabendo
Que nós fizemos tudo para a glória do amor”
Cobra Kai, seria o maior fan service da história?
A série de televisão acontece 34 anos depois do filme original e é um verdadeiro deleite para os fãs dos filmes. Segue a reabertura do dojo de karatê Cobra Kai, por Johnny Lawrence e a reativação de sua antiga rivalidade com Daniel LaRusso. A série foi criada por Jon Hurwitz, Hayden Schlossberg, e Josh Heald e é estrelado por Ralph Macchio e William Zabka, que reprisam seus papéis dos filmes antigos.
Com outro ponto de vista da história original, mostra agora o lado de Johnny Lawrence, suas motivações para ter agido daquela forma na juventude. Daniel sempre conquistou seus objetivos enquanto Johnny até a namorada perdeu para Daniel – no decorrer dos episódios descobrimos que Johnny Lawrence tinha um padrasto abusivo, estopim para o seu comportamento agressivo. Fora os dramas, temos muita nostalgia e uma linda homenagem aos fãs e a um grande clássico que ficará sempre guardado em nossos corações.
As lições do Mestre Miyagi, os métodos diferentes que se tornaram marca registrada do filme, como o famoso encerar o carro, pintar a cerca e lixar o assoalho para ser um campeão assim como fora feito em 1976 no filme Rocky – do treinamento a vitória para se tornar um vencedor.
Karatê Kid teve duas sequências e ainda um quarto filme desta vez sem Daniel mas com Pat Morita e uma nova aluna interpretada por Hilary Swank, hoje dona de dois Oscar de melhor atriz.
Noriyuki “Pat” Morita faleceu em 2005 aos 73 anos e dedico esse esse texto a sua memória, eterno Mestre Miyagi.

FICHA TÉCNICA

Título: Karatê Kid : A hora da verdade
Tíyulo original: The Karae Kid
Direção: John G. Avildsen
Data de lançamento no Brasil: 28 de setembro 1984

Edsom

6 thoughts on “Do Fundo da Estante: Karatê Kid – A hora da verdade [Nostalgia]

  • 5 de novembro de 2020 em 13:43
    Permalink

    Olá, Edsom.
    Eu sou muito fã desse filme. Tanto que toda vez que passava na sessão da tarde eu assistia. Fiquei sabendo da série recente e vou querer conferir.

    Prefácio

    Resposta
  • 5 de novembro de 2020 em 16:19
    Permalink

    Oi, Edson!
    Já assisti à Karate Kid algumas vezes e gosto bastante! Já a série não me chamou tanta a atenção, mas imagino que os fãs amaram ♥

    Estante Bibliográfica

    Resposta
  • 5 de novembro de 2020 em 17:37
    Permalink

    Um filme nostálgico mesmo. Me lembro de quando passava na Sessão da Tarde. Eu tenho vontade de assistir a série algum dia.

    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    Resposta
  • 6 de novembro de 2020 em 01:25
    Permalink

    Oi, Edsom! Tudo bom?
    Eu tenho muitas memórias de passar as tardes assistindo Karatê Kit na Sessão da Tarde, nostalgia pura. Gostava bastante das história – e adorei o remake quando veio também.

    Beijos, Nizz.
    http://www.queriaestarlendo.com.br

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.