O Escândalo [Resenha do Filme]

A camaleoa Charlize Theron está de volta e sua semelhança com a âncora da Fox News, Megyn Kelly, é tanta que impressiona. Os méritos não são apenas para a equipe de maquiagem – Charlize tem uma interpretação quase mediúnica, reproduzindo os trejeitos, timbre de voz, sotaque, dicção e até o jeito de andar de Megyn, cujo momento em que bateu de frente com o então candidato a presidente Donald Trump, é um dos assuntos tratados em O Escândalo, do diretor Jay Roach.
Os letreiros iniciais avisam que a história a seguir é real, porém com algumas mudanças e até personagens fictícios para gerar mais dramaticidade. O outro tema abordado é sobre Roger Alies (um brilhante John Lithgow) gigante do telejornalismo e antigo CEO da Fox News, acusado de assédio sexual por um grupo de mulheres lideradas por outra âncora, Gretchen Carlson (Nicole Kidman), farta de ser sempre objetificada. A jovem Kayla (Margot Robbie) é o alvo da vez e o desenvolvimento de sua personagem (fictícia) é notável, já que representa inúmeras outras funcionárias da emissora com histórias idênticas. 
O diretor Jay Roach parece não ter se desvencilhado das franquias Austin Powers e Entrando numa Fria, já que seu “estilo” não consegue adequar o suficiente ao tratar temas mais sérios. Se o roteiro previsível quase não surpreende, o filme se sustenta pelo elenco que atua com desenvoltura mesmo debaixo de muita maquiagem – inclusive uma exagerada prótese de queixo deixou Nicole Kidmam parecida com Frances McDormamd.
Além de ser uma das produtoras, Charlize tem o peso de ser a protagonista e brilha o tempo todo, mas não faz sombra a ninguém – Nicole Kidman, com sua já mais do que comprovada experiência tem bons momentos, John Lithgow rouba todas as cenas em que aparece e Margot Robbie mostra mais uma vez porque é considerada uma das melhores atrizes de sua geração.
Mais do que uma história de sororidade e empoderamento feminino, O Escândalo mostra, ainda que de maneira sutil, a relação muitas vezes porca entre a imprensa e a política, os conflitos morais e éticos dos profissionais da área e a selvagem competição entre eles.
O uso do recurso da quebra da quarta parede no início quase deixa o filme com cara de episódio de série de TV, o que felizmente não se confirma no decorrer de sua duração.
Ágil e com um tema que está na pauta do dia, O Escândalo é um bom entretenimento e vem sendo lembrado em várias premiações importantes. Merece ser visto.
Trailer
FICHA TÉCNICA
Título: O Escândalo
Título Original: Bombshel
Diretor: Jay Roach
Data de lançamento: 16 de janeiro de 2020
Nota 3,5/5

Italo Morelli Jr.

6 thoughts on “O Escândalo [Resenha do Filme]

  • 15 de janeiro de 2020 em 06:29
    Permalink

    Olá,
    Apesar de altas ressaltas, difícil não querer assistir por causa desse trio maravilhoso.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    Resposta
  • 15 de janeiro de 2020 em 18:02
    Permalink

    Olá…
    Sabe aquele momento que você anda entediada e nada prende a sua atenção? Então, eu estou assim e ando vendo bastante filmes pra ver se saio dessa… Desta forma, amei conferir suas impressões sobre o filme e só de trazer temas como empoderamento feminino já é algo que quero assistir!
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    Resposta
  • 15 de janeiro de 2020 em 20:16
    Permalink

    Oi, Italo!
    Eu quero assistir esse filme pra entender melhor todo esse escândalo.. só vi por alto na mídia
    Beijos
    Balaio de Babados

    Resposta
  • 16 de janeiro de 2020 em 03:23
    Permalink

    Oi, Ítalo
    Eu não me interessei muito pelo filme mas vi que ele foi indicado ao óscar, então to começando a pensar em assistir. Amo o trio de protagonistas!
    Beijo
    https://www.capitulotreze.com.br/

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.