As Crônicas de Frankenstein [Resenha da série]

Eu sou fascinada por séries esquisitas onde acontecem coisas muito estranhas e por isso eu achei na Netflix duas temporadas com seis episódios cada, da série muito bem produzida, As Crônicas de Frankenstein.

A série tem como protagonista o policial marítimo John Marlott (Sean Bean) que com a ajuda do policial Nightingale (Richi Campbell) passa a investigar o cadáver de uma criança formado por partes de corpos de oito crianças diferentes.

Sendo designado para investigar o caso, o Sr. Marlott tenta encontrar adeptos e apoiadores do Galvanismo (uso de correntes elétricas em cadáveres que provocam movimentos) e chega até a escritora Mary Shelley (autora de Frankenstein), enquanto tenta se livrar da culpa e dos fantasmas do seu passado.

Marlott encontra com uma gangue que vende cadáveres, pessoas que ficam vigiando e depois que um corpo é enterrado, eles aguardam a devida oportunidade para roubá-lo e nunca ninguém dará falta deles, mas o protagonista prepara uma emboscada e acha os contrabandistas de corpos, mas mesmo assim parece ser quase impossível chegar perto de quem está costurando corpos e saber qual a intenção, mas ele consegue se aproximar demais e acaba sofrendo as consequências de sua busca!

Se sentindo culpado pela morte de uma jovem a qual ele colocou como isca para conseguir encontrar os culpados, Marlott não desiste de investigar quem e o que o autor dos cadáveres costurados quer.

As Crônicas de Frankenstein é sombria, com cenários escuros, casas e quartos miseráveis, ruas cheias de lama, pessoas que parecem estar sempre sujas e com roupas maltrapilhas, exceto por aqueles que possuem algum status na sociedade da época. É tensa, instigante, interessante e diferente!

Sean Bean ainda tem a cabeça em cima do pescoço e uma bela atuação como o torturado John Merlott.

A série foi renovada para uma terceira temporada e é sucesso entre os críticos.

Marise Ferreira

9 thoughts on “As Crônicas de Frankenstein [Resenha da série]

  • 24 de fevereiro de 2019 em 18:07
    Permalink

    Oi, Marise!
    Morta duplamente! Não sabia da série e o Sean Bean não morreu de início (ainda hahahhaa)
    Beijos
    Balaio de Babados

    Resposta
  • 24 de fevereiro de 2019 em 23:05
    Permalink

    Oi Marise! Essa série parece ser bem bizarra e quando você cita que ele sofre as conseuquencias da busca, logo imaginei que tinha morrido.Ao menos não foi o caso, nessa série… Parece ser bem intrigante, só não sei se tenho coragem de conferir. Eles mostram em detalhes as vítimas? Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    Resposta
    • 25 de fevereiro de 2019 em 23:28
      Permalink

      Cida, não mostram muitos detalhes, mas aparecem corpos.

      Resposta
  • 25 de fevereiro de 2019 em 02:37
    Permalink

    Oi, Marise! Tudo bom?
    Vejo Sean no elenco já me preparo pra quando o personagem dele for morrer. Eventualmente vai acontecer, tá no contrato UHASUHASUHASUHUHASUHASUHAS
    Eu vi alguma coisa sobre essa série e a vibe de horror gótico sempre me ganha; tô meio quebrada pra acompanhar séries ultimamente, mas quem sabe em breve!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    http://www.queriaestarlendo.com.br

    Resposta
  • 25 de fevereiro de 2019 em 18:22
    Permalink

    Nem sabia dessa série. Deste que li Frankenstein pela primeira vez me tornei ainda mais curiosa para ver/ler histórias semelhantes e o galvanismo tem me fascinado desde o ensino médio, acho surpreendente.
    Achei interessante que a série tenta misturar a fantasia e a realidade, colocando a própria Mary Shelley como personagem!
    Irei conferir assim que terminar umas séries pendentes haha

    Resposta
    • 25 de fevereiro de 2019 em 23:29
      Permalink

      Séries pendentes também nunca me faltam, kkkk, espero que veja e goste

      Resposta
  • 15 de maio de 2020 em 21:46
    Permalink

    Uma série para se apaixonar ACREDITE!!❤

    Resposta
  • 22 de junho de 2020 em 13:55
    Permalink

    Alguem sabe se vaibsair a 3 temporada?

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.