O ódio que você semeia [Resenha do Filme]

Adaptação do livro de Angie Thomas (para ler a resenha CLIQUE AQUI) para os cinema o filme é um dos longas mais fortes e envolventes sobre racismo que já vi nos últimos tempos.

O longa já começa com Starr (Amandla Stenberg) e seus irmãos escutando o pai explicar como se deve reagir caso um policial os pare na rua, uma cruel realidade. E Maverick (Russell Hornsby) ainda os ensina muito mais, como ética e orgulho de ser negro. Os anos passam e a mãe de Starr faz questão de que os filhos estudem numa boa escola, mesmo o seu enteado Seven (Lamar Johnson) que é filho do seu marido com a atual esposa do traficante local. Starr vive uma vida dupla, já que no bairro é uma, na escola precisa ser outra, uma garota negra educada e simpática o tempo todo para não ser julgada. No entanto, a vida da protagonista muda por completo quando seu amigo é baleado na sua frente.

Ao sair de uma festa Starr volta pra casa com Khalil (Algee Smith), que infelizmente pra ajudar a família se envolve com o tráfico. O carro é parado e Khalil se irrita com abordagem policial e numa tentativa de pegar uma escova de cabelo é baleado. Bastante traumatizada Starr vive tudo aquilo que seu pai anos antes a alertava. Para que o policial possa ter um julgamento a protagonista precisa dar seu testemunho, se tornando um alvo para King (Anthony Mackie), líder do tráfico e hostilizada também pela polícia e até mesmo na escola.

Os exemplos de racismo são muitos, sutis e nem tão sutis assim. Starr começa a perceber que alguns amigos na escola praticam o preconceito velado e sofre na pele o racismo de uma forma bastante intensa. O bairro onde a família mora é bem retratado assim como o convívio familiar e a brutalidade do tráfico que não poupa ninguém.

O longa não peca por exageros, mostrando a realidade dura e crua sem discursos rasos ou estereotipados. Starr tem razão ao perceber que grita e ninguém a escuta e que o ódio que a gente semeia destrói e corrói até mesmo os mais inocentes. E neste ponto o longa tem um final um pouco diferente do livro, um tanto mais forte e impactante.

Várias referências ao Tupac e suas ideias e bastante sobre a cultura negra também. Starr é uma protagonista incrível, adolescente, vive os habituais conflitos da idade e a história acerta neste ponto. No entanto, mesmo jovem Starr possui discernimento, namora um garoto branco e não o julga, consegue enxergar nele um bom homem, assim como, infelizmente, consegue enxergar terríveis amizades. Não temos aqui um drama adolescente, mesmo com personagens tão jovens, o que temos é uma trama forte e muito precisa.

Todo o elenco dá um show e todos se saem muito bem em seus papéis e Amandla consegue carregar bem toda a parte dramática que seu papel exige e equilibrando bem com momentos mais leves do longa.

Atual, honesto, real e impactante. É difícil ver o filme e não se sensibilizar com tudo que ocorre, não sentir a injusta que corrói a nossa sociedade, não sofrer com o luto e a luta de Starr. O ódio que você semeia precisa ser lido e visto, precisa ser debatido, precisa ser sentido enquanto a empatia ainda sobrevive.

Trailer:

FICHA TÉCNICA
Título: O ódio que você semeia
Título Original: The Hate U Give
Diretor: George Tillman Jr.
Data de lançamento no Brasil: 06 de dezembro de 2018
Nota: 5/5
Michele Lima

10 thoughts on “O ódio que você semeia [Resenha do Filme]

  • 5 de dezembro de 2018 em 23:14
    Permalink

    Não tinha lido nada sobre. Achei importante assistir esse filme e os debates que ele proporciona.
    Bom restante de semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    Resposta
  • 5 de dezembro de 2018 em 23:31
    Permalink

    Oi MI! Estou gostando do livro e empolgada para ver o filme, pena não ter em quase nenhum cinema por aqui. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    Resposta
  • 5 de dezembro de 2018 em 23:52
    Permalink

    Oi Mi!!

    Amei a resenha, espero que seja os hormônios, estou mais emotiva do que o normal, chorando com tudo, e como não chorar com essa história que é tão real e pesada!
    Infelizmente o filme não irá ser colocado nas salas do país todo, e isso me deixou extremamente chateada! Fico triste por não darem a voz necessária para essa adaptação, mas acredito que o buraco seja bem mais fundo…
    Infelizmente não conseguirei asssitir o filme no cinema, já que na minha região não irá passar, e estou indo viajar com a família, e adivinha, também não tem na rede!
    Fiquei imensamente decepcionada com isso!
    Vou asssitir logo que estiver disponível.
    Extremamente necessário e real. Precisamos dar voz para a população e tentar mudar um pouco das coisas erradas nesse país!

    Beijos
    Naty!!

    Resposta
  • 6 de dezembro de 2018 em 13:45
    Permalink

    A Naty me disse que se emocionou com a resenha, e vim ver se era só uma viadagem dela, ou se estava emocionante mesmo. E olha, realmente está emocionante, talvez por eu já ter lido e ter sentido o que você sentiu…
    Infelizmente por aqui não temos o filme disponível, mas quero muito assistir.
    Beijos
    http://pausaparapitacos.blogspot.com/

    Resposta
  • 6 de dezembro de 2018 em 14:37
    Permalink

    Oi Mi,

    Estou querendo assistir ao filme no fim de semana, ainda não li o livro, mas pelo que vejo o filme parece ser bem impactante.
    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    Resposta
  • 6 de dezembro de 2018 em 16:14
    Permalink

    Oi, Mi

    O livro chegou aqui essa semana e eu super me animei para ler para em seguida ir ao cinema neste final de semana, mas… a distribuidora não colabora! E pior, ignora todos os apelos do povo no Twitter para que o filme seja disponibilizado em mais salas. O cinema que vai exibir aqui fica a duas horas de distância, sem condições. É um posicionamento vergonhoso frente a um filme tão importante e relevante quanto este, uma pena.

    Beijos
    – Tami
    https://www.meuepilogo.com

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.