Todas as Pequenas Luzes [Resenha Literária]

Eu posso garantir que Jamie McGuire amadureceu muito como escritora. Para quem leu a Série dos Irmãos Maddox pode ler Todas as Pequenas Luzes com a garantia de que vai ter momentos de leitura prazerosa. Jamie ainda se agarra ao primeiro amor adolescente avassalador, mas é fofo!
É assim o amor que surge entre Elliott e Catherine. Depois de passar um verão maravilhoso, os dois se apaixonam. Ele estava passando as férias na Cidade, Oak Creek na casa dos Tios John e Leigh, e ela morava com os pais em um sobrado enorme estilo vitoriano na Juniper Street.
Elliott, cherokee, alto, forte e de cabelos longos já conhecia Catherine, ele vivia com uma câmera tirando fotos e neste verão ele finalmente cria coragem para chegar mais perto dela, não que o encontro tenha sido calculado, foi mais inevitável do que planejado. 
Catherine já era uma menina solitária, com muito poucos amigos e perseguida pela colega de escola Presley e suas cópias xerox, Tara Tatum e Brie. Tanto ela quanto Elliott vivem em lares cheios de conflitos, brigas e tristeza. A mãe de Elliott e o pai vivem brigando, a mãe de Catherine tem depressão e momentos em que o desespero financeiro a faz ficar mais descontrolada. Ela tem a idéia de fazer uma pensão no sobrado, mas o pai de Catherine não concorda.
No dia em que a tragédia bate à porta de Catherine e ela precisa desesperadamente de Elliott, ele não pode estar presente, apesar de não querer, apesar de lutar contra, apesar de tentar de todas as maneiras, Elliott é obrigado a ir embora.
Quando ele retorna dois anos depois com o dobro do tamanho e como um excelente jogador de futebol americano, ele faz de tudo para conquistar Catherine novamente e fazê-la perdoá-lo por ter ido embora. Ele usa de todos os argumentos possíveis e até a Professora Mason que acompanha Catherine o ajuda a ser perdoado.
A protagonista não tem muito tempo livre, ela precisa ajudar a mãe na pousada que montaram no sobrado, há muito que fazer e os mesmos hóspedes circulam pela propriedade explorando Catherine, ameaçando-a e fazendo com que seus dias na pousada sejam horríveis. A única parte da sua vida em que ela é feliz é quando Elliott está presente garantindo a sua segurança, mas ele não pode entrar na pousada e ajudá-la, a mãe de Catherine jamais permitiria, assim como a mãe de Elliott odeia que ele esteja apaixonado por ela.
Apesar de tudo eles tentam ser felizes juntos e Elliott tenta por todos os meios planejar um futuro com ela, ele quer fazer faculdade, jogar futebol, mas se ela não for embora junto com ele, ele está disposto a não ir embora, mas ela não tem coragem para abandonar a pousada e os hóspedes que vem e vão, sempre os mesmos, os que mantêm a casa ainda viva. Duke, um homem grosseiro e sua filha de 5 anos Poppy, Althea, uma senhora que fica na pousada quando vem visitar os netos, Willow, a vizinha esquisita Tio Toad e a Prima Imogem, Catherine não tem coragem de deixar a mãe sozinha e não permite de que ninguém se aproxime dela e da casa o suficiente para entender o medo que ela sente vivendo lá. 
Para piorar a situação, Presley, a colega que perseguia Catherine em todos os lugares que a encontrava, desaparece e Elliott e ela passam a ser considerados os suspeitos de terem feito algo com a colega. Elliott vítima do preconceito racial e com alguns ataques de violência no currículo e Catherine a vítima da perseguição de Presley passam a ser perseguidos na escola e acusados.
E então a verdade! A dura e dolorosa verdade que pode libertar os dois adolescentes de um futuro indefinido quando finalmente Catherine fala a verdade e traz tudo à tona. O final é quase de um filme de terror, surpreendente e totalmente inesperado.
O livro é envolvente e muito interessante, impossível ficar sem saber que mistérios estão escondidos na Pousada Juniper!
FICHA TÉCNICA
Título: Todas as pequenas luzes
Autora: Jamie McGuire
Nota: 4/5
Onde Comprar: Amazon
 

Marise Ferreira

8 thoughts on “Todas as Pequenas Luzes [Resenha Literária]

  • 5 de fevereiro de 2019 em 15:19
    Permalink

    Oi Marise,

    Bom saber da evolução da autora. Não que eu não tenha gostado de Belo Desastre, mas sinceramente não é um dos meus favoritos.
    Vou colocar o livro na lista de leitura para tirar minhas conclusões.
    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2019 em 20:54
    Permalink

    Oi Marise,
    Eu tenho uma relação de amor e ódio com a Jamie, depois do que ela fez com Belo Funeral fiquei sobre desaminada. Mas estou vendo pela sua resenha que ela amadureceu, então vou dar uma chance. 🙂

    http://www.depoisdaleitura.com.br

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2019 em 22:39
    Permalink

    Oiii Marise

    Fiquei louca pra conferir esse livro porque ele parece ter tudo e ser muito mais do que uma simples história, daqueles que envolve e surpreende o leitor mesmo. Da Jamie li Red Hill, que tinha um outro estilo, mas gostei demais, e acredito que ela deve ter mesmo amadurecido ainda mais de lá pra cá e fico super contente em saber disso. Com certeza vou ler.

    Beijos

    http://www.derepentenoultimolivro.com

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2019 em 23:53
    Permalink

    Oi! Que saudade dos livros dessa autora, ela escreve historias muito envolventes e tenho certeza que este livro vai me agradar. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    Resposta
  • 6 de fevereiro de 2019 em 03:30
    Permalink

    Oi, Marise

    Muitos desencontros pelo visto…
    Eu estou com o livro aqui pra ler, mas como odiei Belo Desastre com todo o meu ser eu meio que estou receosa… mas farei a leitura querendo gostar.

    Beijos
    – Tami
    https://www.meuepilogo.com

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.